Incubadora portuguesa vai financiar em 50 mil euros startups com tecnologia para o espaço

As candidaturas a apoio da ESA BIC Portugal estão abertas até dia 5 de novembro. Podem também participar empresas com novas ideias de produtos e serviços direcionados para o mercado espacial.

A incubadora de empresas portuguesas da Agência Espacial Europeia (ESA BIC Portugal) vai prestar apoio financeiro, técnico e de negócio a startups com tecnologia espacial ou novas ideias de produtos e serviços direcionados para este mercado.

As candidaturas decorrem até ao próximo dia 5 de novembro e destinam-se a recém-criadas empresas nacionais (com menos de cinco anos). O protótipo que pretendam colocar a concurso tem de ser desenvolvido num período máximo de dois anos.

A ESA BIC Portugal – coordenada pelo Instituto Pedro Nunes – já apoiou duas dezenas de startups. Este ano mostrou-se disponível para dar gás a negócios inovadores de produtos e serviços pensados para a indústria espacial do futuro, conhecida como Espaço 4.0.

A incubadora portuguesa tem polos no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e na agência DNA Cascais e conta com o apoio do Gabinete do Espaço (FCT/ANI), a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), entre outros: universidades, municípios, investidores particulares.

Recomendadas

Tem dúvidas sobre financiamento alternativo? Crowdfunding estará em debate na SRS

A sociedade SRS Advogados e a publicação “LinktoLeaders” abordarão as “Modalidades de financiamento para startups”, o “Regime de Crowdfunding e regulação” e “Lending vs Equity Crowdfunfing”.

Natixis convida estudantes e profissionais de TI para seminários e networking

O“NATWORK” realiza-se no próximo dia 20 de outubro, no Warehouse J9A, em Lisboa. A entrada é gratuita.

OutSystems desafia estudantes com ‘batalha’ entre universidades

A equipa vencedora do “Battle of Universities”, que se realiza no próximo dia 3 de novembro, será aquela que reunir mais pontos (e terá como prémio a deslocação a uma das edições da GoTo Conference).
Comentários