Indígenas protestam junto da sede da Repsol contra petróleo no mar brasileiro

Um grupo de indígenas brasileiros, em conjunto com representantes do movimento de proteção ambiental 350.org, manifestaram-se hoje junto da sede da petrolífera Repsol em Madrid contra o uso de combustíveis fósseis, pedindo um “mar sem petróleo”.

O protesto decorreu na capital espanhola, que acolhe a Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP25), na qual, na opinião da diretora da 350.org na América Latina, Nicole Oliveira, “não se está a falar do petróleo” nem das catástrofes ecológicas como o derrame de 10.000 toneladas de crude na costa brasileira.

Nicole Oliveira referiu que a origem deste derrame, que afeta mais de 800 localidades e continua a atingir o sul do país, não é conhecida e que o governo brasileiro “não assume qualquer responsabilidade”.

A ativista acrescentou que as tarefas de limpeza estão a cargo de voluntários e de pessoas que utilizam o mar como forma de subsistência e que estas pessoas estão a colocar as suas vidas em risco devido à toxicidade do petróleo.

“Não culpamos a Repsol”, disse a ativista, que justificou a escolha da sede da petrolífera espanhola por ser uma das empresas que explora no Brasil.

Nicole Oliveira lamentou que na cimeira se tenha abordado os incêndios na Amazónia como um exemplo das consequências das alterações climáticas, mas que não se tenha discutido o derrame do petróleo.

“É como se não existisse, e é por isso que viemos chamar a atenção”, explicou.

O protesto foi acompanhado por indígenas brasileiros vestidos com trajes tradicionais e por ativistas espanhóis e europeus, empunhando cartazes onde pediam um “mar sem petróleo” ou simples fotografias do crude no mar brasileiro.

Ler mais
Recomendadas

Comissão Europeia: “Portugal compreendeu que tem boas condições para energias renováveis”

Segundo a proposta de Bruxelas, estão previstos 79 milhões de euros para Portugal, o equivalente a 1,05% do total de 7,5 mil milhões.

Chuva forte continua até sábado. Temperaturas descem a partir de domingo

Os distritos de Coimbra, Leiria e Lisboa, também estão sob aviso amarelo por causa da agitação marítima, prevendo-se ondas de oeste/sudoeste com 4 a 5 metros até às 21:00 desta quinta-feira.

Ascenso Simões votará contra se Orçamento do Estado incluir taxa a empresas de celulose proposta pelo Bloco de Esquerda

Deputado socialista reage a declarações do ministro do Ambiente, Matos Fernandes, que desafiou o Bloco de Esquerda a apresentar uma medida que admite ter sido “esquecida” por si enquanto novo responsável pela tutela das florestas. Algo que esse partido já fez, entregando uma proposta de aditamento ao Orçamento do Estado para 2020.
Comentários