Infografia | Um olhar nacional sobre 2020

O estado de emergência saltou das páginas da Constituição para o quotidiano de milhões de portugueses forçados ao confinamento, distanciamento social e recolher obrigatório para tentar travar a progressão da pandemia. Eleições regionais puseram fim a 24 anos de governação socialista nos Açores, a justiça afastou António Mexia da EDP e acusou Ricardo Salgado pelo colapso do Grupo Espírito Santo, e o Estado aumentou a participação numa TAP necessitada de dinheiros públicos para não fechar portas.

Recomendadas

Barómetro ACEGE: Apoios à TAP e empresas afetadas pela pandemia preocupam empresários

Respostas dos empresários e gestores associados do barómetro de janeiro da ACEGE, numa parceria com o Jornal Económico, a Rádio Renascença e a Netsonda, revelam preocupação com efeitos da Covid-19. Mas também sinais de otimismo quanto à evolução das suas empresas e à manutenção dos postos de trabalho.

Infografia | Depois da tempestade, o regresso ao crescimento

O ano de 2020 marcou uma queda abrupta na taxa de crescimento da economia portuguesa, devido à crise provocada pela pandemia, mas 2021 já deverá ser de retoma, ainda que gradual. As projeções das principais instituições nacionais e internacionais variam entre uma expansão de 1,7% e 6,5% para a totalidade deste ano, com diferentes estimativas para as várias componentes do PIB. O consumo e as exportações deverão puxar pela recuperação de uma economia demasiado penalizada pela quebra do turismo.

Votação Jornal Económico: veja aqui os resultados

Não foi um ano de ganhos para o BCP, nem na bolsa, nem no bottom line. Antes pelo contrário, as ações afundaram quase 40% e os lucros tombaram 46% nos primeiros nove meses. Isso não impediu, contudo, os leitores do JE de escolherem Miguel Maya, CEO do banco, como gestor do ano. Veja também quem venceu as categorias de personalidade nacional e internacional do ano 2020.
Comentários