Insolvências aumentam 52% em junho em comparação com o período homólogo de 2019

A redução abrupta da atividade económica fez com que em junho face ao período homólogo as insolvências disparassem 52%, ao passo que a constituição de empresas novas caiu 18,4%

A filial da Crédito y Caución, Iberinform, fez um estudo onde concluiu que houve um aumento de 52% nas insolvências em junho face a 2019. No total do semestre, o crescimento homólogo foi de 7,5%. As constituições caíram 18,4% em junho e 34,4% no semestre.

Em junho, registaram-se 559 insolvências, mais 191 que no período homólogo de 2019, mas menos 41 que em maio. Já no total do semestre, o incremento face ao mesmo período do ano passado é de 7,5%, com 2.749 insolvências. Este valor apresenta-se inferior aos totais registados no primeiro semestre de 2017 (3.391) e de 2018 (3.067).

Sem surpresas, Lisboa e o Porto são os distritos que apresentam o valor de insolvências mais elevado, com 568 e 687 casos, respetivamente. Face a 2019, verifica-se um aumento de 8,8% em Lisboa e de 7,7% no Porto.

No entanto, a maioria dos distritos continua a revelar um aumento de insolvências (59,1%). Entre os distritos com maiores aumentos percentuais encontram-se: Angra do Heroísmo (142,9%), Castelo Branco (69,2%), Beja (50%), Faro (44,7%), Viana do Castelo (30,6%) e Ponta Delgada (23,5%). Entre os distritos com redução nas insolvências (36,4%) destaque para Guarda, com uma redução de 37,5% face a igual período do ano passado, Horta (-25%) e Coimbra (-23,1%). Évora mantém valor idêntico a 2019 (22 insolvências), diz a Iberinform.

Apenas dois setores de atividade não viram crescer o número de empresas insolventes no primeiro semestre de 2020: Indústria Extrativa, com um decréscimo de 42,9% face a 2019, e Construção e Obras Públicas (-7,6%). Dos restantes setores, os maiores aumentos foram registados nas Telecomunicações (33,3%), Hotelaria e Restauração (18,3%) e Outros Serviços (16,6%). O setor de Eletricidade, Gás e Água registou variação nula (cinco insolvências).

Não foram só as insolvências que aumentaram, a redução abrupta da atividade económica fez cair a constituição de empresas.

Constituições diminuem 18,4% em junho

Quando comparado com o ano anterior, o número de constituições de empresas é consideravelmente menor, no entanto a Iberinform diz que “o nascimento de novas empresas já se começa a revelar, após uma quebra notória durante os meses de confinamento”. Em junho foram criadas 2.641 novas empresas, menos 597 que no período homólogo de 2019 (-18,4%). Contudo, este valor traduz um aumento de 21,4% face a maio.

No acumulado, o primeiro semestre de 2020 fecha com um total de 18.076 constituições, menos 9.471 que em 2019 (-34,3%). Em termos históricos, o acumulado do ano 2020 é muito inferior ao dos anos anteriores: 24.648 em 2018 e 27.547 em 2019.

O número de constituições mais significativo verifica-se em Lisboa, com 4.724 empresas (-36%), e no Porto, com 3.341 empresas (-33,4% face a 2019). Todos os distritos apresentam decréscimos com as variações mais significativas a ocorrerem nos distritos de Aveiro (-51,5%), Guarda (-40,5%) e na Madeira (-39,6%).

Assim como nenhum distrito apresentou variação positiva, também os setores de atividade relevam esta mesma tendência. As variações mais significativas registam-se na Indústria Extrativa (-56,5%), no setor da Hotelaria/Restauração (-38,7%), Transportes (-37,8%), Outros Serviços (-35,2%) e Construção e Obras Públicas (-35,1%).

Ler mais
Recomendadas

Farmacêutica Pfizer inicia ensaio clínico com quase 30 mil participantes

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a biotecnológica alemã BioNTech iniciaram um ensaio clínico de uma potencial vacina para a Covid-19 envolvendo cerca de 30 mil participantes, foi anunciado esta quarta-feira.

Facebook lança versão do Tik Tok através do Instagram

O Reels é a aplicação que a empresa de Mark Zuckerberg criou para fazer frente ao rival Tik Tok. O lançamento acontece dias depois sa Microsoft anunciar as negociações para adquirir as operações nos EUA da aplicação de video da ByteDance na China.

Empresa portuguesa de apostas desportivas vence prémio internacional de inteligência artificial

O prémio de ‘Inovação em apostas desportivas para jogo responsável’ foi atribuído à Kaizen Gaming, empresa mãe da Betano. O grupo venceu três prémios nos EGR Awards.
Comentários