Investimento imobiliário em Portugal atingiu 3,5 mil milhões de euros em 2019

Consultora imobiliária destaca a transação de diversos portfólios e carteiras de fundos de investimento imobiliário, bem como um forte investimento relacionado com o setor da hotelaria.

Cristina Bernardo

O investimento imobiliário em Portugal atingiu os 3,5 mil milhões de euros no último ano, segundo indica a consultora imobiliária CBRE, em comunicado divulgado esta quinta-feira, 8 de janeiro.

A consultora imobiliária destaca a transação de diversos portfólios e carteiras de fundos de investimento imobiliário, bem como um forte investimento relacionado com o setor da hotelaria.

Na área de Capital Markets, realce para a transação de edifícios como o D. Manuel II, no Porto, o Fontes Pereira de Melo 41 ou o Alexandre Herculano 50, em Lisboa, a venda de terrenos na Alta de Lisboa e a venda do edifício da Nestlé num processo de Sale & Leaseback, enquanto na transação de portfólios de edifícios de escritórios, destaca-se o portfólio Arya. Já na área dos centros comerciais, a maior nota vai para o portefólio de três centros comerciais, Sonae Sierra – LouresShopping, Oitava Avenida e RioSul Shopping – representando o comprador (Harbert).

Em relação aos escritórios, destaque para o arrendamento de  7 mil m2 à Cuatrecasas que terá a nova sede no antigo edifício da Liberty, em plena Avenida Fontes Pereira de Melo em Lisboa, bem como o arrendamento do Edifício Lisboa na Expo à Ericsson, totalizando cerca de 1.500 m2.

No Retalho, destaque para a colocação da BA&SH e a Dolce & Gabbana na Avenida da Liberdade e da abertura FNAC de dois pisos que totalizam 1.500m2 no Fórum Aveiro.

Sobre as perspetivas para 2020, o diretor-geral da CBRE em Portugal, Francisco Horta e Costa afirma que “o imobiliário vai manter uma dinâmica bastante positiva em 2020 e que ainda não é desta que o mercado vai abrandar. Existe uma procura sustentada e saudável por parte dos investidores que é transversal aos diferentes setores e que vai permitir que se desenvolvam e transacionem vários projetos, desde os escritórios ao residencial, passando pela hotelaria e pelos novos conceitos de ‘living'”.

O responsável pela consultora em Portugal, adianta também que “a reabilitação continuará o seu curso e iremos assistir a uma cada vez maior descentralização dos projetos residenciais, nomeadamente de construção nova, para zonas mais periféricas ou mesmo para concelhos limítrofes aos de Lisboa e Porto” e que em 2020 “não faltarão investidores em 2020 para imobiliário de rendimento em todos os setores, mantendo-se a pressão em baixa das taxas de rentabilidade (yields) em virtude de um contexto continuado de baixas taxas de juro”.

Consultora cresceu 22% em 2019

Pelo quinto ano consecutivo a CBRE Portugal cresceu no mercado nacional. No último ano esse aumento foi de 22%, um valor recorde e o melhor da história da consultora em termos de volume de negócio. As operações em Lisboa apresentaram um crescimento de 15,5% e o escritório do Porto aumentou em mais que o dobro a sua receita.

A consultora acredita que o ano de 2020 continuará a ter um “elevado volume de transações, atendendo ao já significativo volume de instruções que transitam de 2019 e dos 17 novos processos que a CBRE irá trazer a mercado no primeiro trimestre de 2020, que em conjunto  somam mais de 570 milhões de euros de potenciais transações”, indica o comunicado.

Ler mais
Recomendadas

Gestora de alojamento local supera 30 mil hóspedes em Portugal

A GuestReady entrou no mercado português no final de 2018 já registou um total de 315 propriedades geridas, tendo ajudado 205 proprietários no país a rentabilizar os seus imóveis.

‘Vistos Gold’: Retirar Lisboa e Porto é “sinal negativo para investidores”, diz APEMIP

A medida apresentada pelo PS foi rejeitada pela associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal que considera que a medida vai no sentido de tentar travar a procura no mercado, em vez de promover o aumento da oferta.

Avaliação das casas sobe para 1.321 euros/m2 em dezembro e fixa novo recorde

Este valor representa um aumento de nove euros face ao mês anterior. O valor médio da avaliação anual situou-se nos 1.286 euros/m2 , representando um crescimento de 7,9% relativamente ao ano anterior.
Comentários