Tim Cook ‘levanta o véu’: iPhone 11 custa 699 dólares

“O iPhone mudou a forma como vivemos de uma maneira que nunca imaginávamos. Alterou indústrias e criou um profundo impacto nas nossas rotinas. Os consumidores adoram o iPhone e nós tentamos torná-lo melhor e melhor”, afirmou Tim Cook.

A Apple divulgou esta terça-feira a sua nova ‘joia da coroa’: a tripla iPhone 11, iPhone 11 Pro e iPhone Pro Max. “É simplesmente magnífico. Criámo-lo a pensar nos consumidores e vai impactar a sua vida de diferentes maneiras”, garantiu Tim Cook, CEO da tecnológica norte-americana, na apresentação oficial dos novos produtos da empresa.

Os novos iPhones serão colocados à venda em Portugal a partir de 20 de setembro.

Com 6,1 polegadas num ecrã LCD (retina) e seis cores disponíveis, o iPhone 11 tem duas câmaras traseiras de 12 megapixels capazes de transformar uma fotografia dita ‘normal’ como se fosse tirada num estúdio (fundo branco). O modo retrato foi aperfeiçoado para dar a hipótese aos clientes a animais de estimação e há uma ‘ultra wide camera’ capaz de abre portas a mais ângulos de imagem.

Além disso, a gigante de Cupertino implementou neste smartphone uma funcionalidade de vídeo ‘slow motion’ na câmara frontal pela primeira vez, e um toque rápido (‘quiktape’) para passar do modo fotografia para vídeo.

O iPhone 11 custa, pelo menos, 699 dólares e tem o mais rápido CPU (unidade central de processamento) num smartphone, fruto de um trabalho de produção para criar os processadores A13 Bionic, com uma litografia de 7 nanometros. Ciente de que a bateria do telemóvel tem cada vez mais importância para as pessoas, a Apple fez questão de criar um aparelho com 1 hora de bateria a mais do que a do anterior iPhone Xr.

Tim Cook revelou ainda que os três telemóveis iOs lançados no ano passado tiveram uma taxa de satisfação dos clientes de 99%. “O iPhone mudou a forma como vivemos de uma maneira que nunca imaginávamos. Alterou indústrias e criou um profundo impacto nas nossas rotinas. Os consumidores adoram o iPhone e nós tentamos torná-lo melhor e melhor”, disse o número um da Apple, remetendo a assistência para os tempos em que o iPhone não só mudou o paradigma de consumo de eletrónica como ampara as contas da empresa.

Por isso mesmo, a Apple lançou uma gama de três novos iPhones. Com uma tecnologia mais avançada, o Pro e o Pro Max também ‘pesam’ mais nas carteiras: os preços dos modelos mais modernos começam nos 999 e 1099 dólares, respetivamente. No entanto, é possível comprá-los através de prestações, de 12, 25 e 29 dólares mensais. “Na Apple sempre tivemos a preocupação de desenhar produtos que tornem as pessoas mais poderosas, que lhes coloquem a tecnologia nas mãos”, afirmou Tim Cook, na apresentação anual dos novos produtos da ‘maçã’.

Ler mais
Recomendadas

Atenção à sua smart TV. Televisões inteligentes enviam dados privados para Netflix e Facebook

A Amazon, Google, Akamai e Microsoft foram as empresas mais contactadas por parte das smart TV. A Universidade de Northeastern conduziu o estudo em 81 aparelhos distintos e encontrou “casos notáveis de exposição de informação” privada.

Nova Iorque suspende venda de cigarros eletrónicos com sabor

A venda destes produtos está proibida por 90 dias e serve como uma lei de emergência até os EUA chegarem a um consenso político sobre o passo a seguir.

Empresas de pirotecnia acusam Governo de “perseguição absurda e infundada”

Críticas surgem depois da tutela ter emitido despachos que proíbem o lançamento de fogo de artifício durante vários dias em diversos distritos devido ao alerta vermelho da Proteção Civil para risco de incêndio.
Comentários