Tim Cook ‘levanta o véu’: iPhone 11 custa 699 dólares

“O iPhone mudou a forma como vivemos de uma maneira que nunca imaginávamos. Alterou indústrias e criou um profundo impacto nas nossas rotinas. Os consumidores adoram o iPhone e nós tentamos torná-lo melhor e melhor”, afirmou Tim Cook.

A Apple divulgou esta terça-feira a sua nova ‘joia da coroa’: a tripla iPhone 11, iPhone 11 Pro e iPhone Pro Max. “É simplesmente magnífico. Criámo-lo a pensar nos consumidores e vai impactar a sua vida de diferentes maneiras”, garantiu Tim Cook, CEO da tecnológica norte-americana, na apresentação oficial dos novos produtos da empresa.

Os novos iPhones serão colocados à venda em Portugal a partir de 20 de setembro.

Com 6,1 polegadas num ecrã LCD (retina) e seis cores disponíveis, o iPhone 11 tem duas câmaras traseiras de 12 megapixels capazes de transformar uma fotografia dita ‘normal’ como se fosse tirada num estúdio (fundo branco). O modo retrato foi aperfeiçoado para dar a hipótese aos clientes a animais de estimação e há uma ‘ultra wide camera’ capaz de abre portas a mais ângulos de imagem.

Além disso, a gigante de Cupertino implementou neste smartphone uma funcionalidade de vídeo ‘slow motion’ na câmara frontal pela primeira vez, e um toque rápido (‘quiktape’) para passar do modo fotografia para vídeo.

O iPhone 11 custa, pelo menos, 699 dólares e tem o mais rápido CPU (unidade central de processamento) num smartphone, fruto de um trabalho de produção para criar os processadores A13 Bionic, com uma litografia de 7 nanometros. Ciente de que a bateria do telemóvel tem cada vez mais importância para as pessoas, a Apple fez questão de criar um aparelho com 1 hora de bateria a mais do que a do anterior iPhone Xr.

Tim Cook revelou ainda que os três telemóveis iOs lançados no ano passado tiveram uma taxa de satisfação dos clientes de 99%. “O iPhone mudou a forma como vivemos de uma maneira que nunca imaginávamos. Alterou indústrias e criou um profundo impacto nas nossas rotinas. Os consumidores adoram o iPhone e nós tentamos torná-lo melhor e melhor”, disse o número um da Apple, remetendo a assistência para os tempos em que o iPhone não só mudou o paradigma de consumo de eletrónica como ampara as contas da empresa.

Por isso mesmo, a Apple lançou uma gama de três novos iPhones. Com uma tecnologia mais avançada, o Pro e o Pro Max também ‘pesam’ mais nas carteiras: os preços dos modelos mais modernos começam nos 999 e 1099 dólares, respetivamente. No entanto, é possível comprá-los através de prestações, de 12, 25 e 29 dólares mensais. “Na Apple sempre tivemos a preocupação de desenhar produtos que tornem as pessoas mais poderosas, que lhes coloquem a tecnologia nas mãos”, afirmou Tim Cook, na apresentação anual dos novos produtos da ‘maçã’.

Ler mais
Recomendadas

Carga fiscal faz com que lucros da REN caiam 5% situando-se nos 86,3 milhões de euros

O EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) foi de 368 milhões, o que representa uma queda de 2,7% face ao período homólogo, segundo a REN.

Volkswagen vai investir 60 mil milhões em mobilidade elétrica e tecnologia digital até 2024

A Volkswagen planeia construir 75 variantes de carros elétricos e cerca de 60 modelos de veículos híbridos.

Hotel da Barrosinha abre portas em Álcacer do Sal num investimento de cinco milhões de euros

Dispondo de 37 quartos standard, que inclui um quarto totalmente adaptado para pessoas com mobilidade reduzida e oito quartos comunicantes, e ainda duas suites, o Hotel da Barrosinha aposta na proximidade ao ritmo da natureza.
Comentários