iPhone 12 com menor popularidade na China face a anos anteriores

Ainda assim, analistas consultados pela “Reuters” apontam para um aumento dos pedidos ainda este ano, uma vez que o publico “leal” à gigante norte-americana continua a ser muito significativo na China.

Wu Hong / EPA

Ao contrário do que aconteceu em anos anteriores, o lançamento do novo iPhone 12 da Apple não convenceu o público chinês, a julgar pelo tamanho das filas à porta das lojas da gigante americana. Um dos fatores apontado para a aparente falta de interesse dos chineses, prende-se com a tecnologia 5G, uma vez que outras fabricantes rivais já tinham lançado os seus respetivos modelos preparados para funcionar com internet de quinta geração, segundo a “Reuters”.

Outro dos fatores poderá, sem surpresa, estar ligado à pandemia de Covid-19 apesar de a China ser neste momento um dos países com menos casos de infeção registados. A mudança do consumo para o espaço online é uma tendência que está para ficar, e é natural que muitos consumidores tenham optado por esta via.

Ainda assim, analistas consultados pela “Reuters” apontam para um aumento dos pedidos ainda este ano, uma vez que o publico “leal” à gigante americana continua a ser muito significativo na China.

A Apple e a Huawei são as únicas fabricantes de smartphones que registam crescimento nas vendas na China este ano, com um aumento anual de 35% para a Apple no segundo trimestre, segundo a consultora Canalys.

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários