Irão: instalações nucleares de Natanz podem ter sido alvo de ataque de Israel

Governo de Benjamin Netanyahu foi muito pouco claro sobre um possível envolvimento do país num ataque a váriuas infraestruturas iranianas ligadas à produção de energia atómica.

Morteza Nikoubazl / Reuters

Imagens de satélite ontem publicadas mostram que um incidente num dos principais centros nucleares do Irão na semana passada causou danos muito mais extensos do que os divulgados pelas autoridades, intensificando as suspeitas de que possa ter havido um ataque às instalações.

Uma imagem de satélite publicada pelo jornal iraniano Iran International, com sede em Londres, mostra a maior parte do prédio onde o incidente da manhã de quinta-feira ocorreu, enegrecido por marcas de incêndio e detritos espalhados pelo perímetro, indicando uma forte explosão.

As autoridades iranianas disseram que ocorreu um incêndio nas suas instalações de enriquecimento nuclear de Natanz, na província central de Isfahan. O incidente foi seguido por mais dois incidentes industriais no sábado, que, juntamente com incêndios e explosões noutros locais, alimentaram especulações de que o país está a ser alvo de uma campanha organizada de sabotagem.

Autoridades do governo de Israel falaram publicamente pela primeira vez sobre esses rumores. Nem o ministro da Defesa, Benny Gantz, nem o ministro das Relações Exteriores, Gabi Ashkenazi, confirmaram qualquer papel de Israel. Mas as suas declarações cuidadosas fizeram pouco para apagar suspeitas de que pelo menos alguns dos incidentes não o foram.

“Nem todos os incidente que acontecem no Irão estão necessariamente conectado com Israel”, disse Gantz à Rádio Israel. Questionado sobre Natanz, Ashkenazi disse em Jerusalém que Israel tem uma política de longo prazo para não permitir que o Irão obtenha armas nucleares, acrescentando: “É melhor não mencionar as nossas ações no Irão”.

Alguns analistas disseram que é provável que pelo menos alguns dos incidentes tenham sido causados ​​por má manutenção das infraestruturas, mas pelo menos dois deles ocorreram em locais estratégicos: uma explosão em 26 de junho numa instalação suspeita de produção de mísseis a leste de Teerã e o incêndio ou explosão de Natanz.

Depois de o governo de Trump se retirar do acordo nuclear com o Irão e de impor sanções à economia iraniana, Teerã anunciou que estava a desenvolver centrifugadoras avançadas capazes de enriquecerem o urânio até ao nível necessário para a produção de armas. Os danos no local de Natanz provavelmente atrasarão a nova geração de centrifugadoras

Keyvan Khosravi, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional do Irão, disse que os especialistas “determinaram a principal causa do incidente” e o tornariam público “no devido tempo, por razões de segurança”.

Ler mais
Recomendadas

BCE quer investigações mais rígidas à idoneidade dos diretores de bancos

O BCE não só vai analisar as qualificações, como informações que possam prejudicar a reputação dos candidatos, incluindo condenações criminais anteriores ou processos judiciais ou administrativos em andamento.

Brexit. Bruxelas abre processo de infração contra Londres por lei que viola acordo de saída

A Comissão Europeia abriu um processo contra o Reino Unido por ter violado o que já tinha sido acordado em relação ao Brexit. Governo de Boris Johnson tem agora um mês para responder a Bruxelas.

Desemprego na zona aumentou para 8,1% em agosto

Este é o quinto mês consecutivo em que a taxa de desemprego sobe na zona euro, uma tendência idêntica na União Europeia que registou um aumento para os 7,4%.
Comentários