Isaltino Morais acusa Santander de “boicotar a democracia” por recusar abrir conta de campanha

Mandatária financeira do grupo de cidadãos Isaltino Inovar Oeiras relatou que gestor de conta lhe disse que departamento de Compliance da instituição financeira recusa abertura de contas para a campanha autárquica por “não ser possível aferir a proveniência dos donativos” nas candidaturas independentes. Fonte oficial do Banco Santander não confirma que tal diretiva esteja em vigor.

O presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, acusou nesta sexta-feira o Banco Santander de “boicotar a democracia” ao recusar a abertura de uma conta do grupo de cidadãos eleitores pelo qual irá procurar conquistar mais um mandato nas eleições autárquicas de 26 de setembro. Numa mensagem de Facebook em que reproduziu um comunicado da direção de campanha do movimento Isaltino Inovar Oeiras, relata-se que um gestor de conta desse banco terá dito à sua mandatária financeira que o Santander decidiu não aceitar contas de campanha desse tipo de movimentos autárquicos.

Na publicação partilhada por Isaltino Morais dá-se conta que um gestor de conta da agência bancária do Santander disse à mandatária financeira do Isaltino Inovar Oeiras que o departamento de Compliance da instituição financeira “determinou que, em contas de campanha, e no caso dos grupos de cidadãos eleitores, não era possível aferir a proveniência dos donativos”. Contactada pelo Jornal Económico no final da tarde desta sexta-feira, pouco depois de o atual presidente da Câmara de Oeiras ter feito esta denúncia, fonte oficial do Banco Santander não confirmou nem desmentiu que estejam em vigor diretivas nesse sentido.

Para a direção da campanha de Isaltino Morais, “não se entende a posição do Banco Santander em não respeitar a legislação portuguesa”, na medida em que a legislação determina que todos os donativos para uma conta de campanha eleitoral têm de ser depósitos realizados por pessoas singulares devidamente identificadas por cheque ou por transferência.

“Resta-nos denunciar a posição do Banco Santander, e afirmar que o mesmo desrespeita as leis da República e boicota a democracia. Como tal, o Banco Santander não é uma entidade idónea”, acusaram os responsáveis do grupo de cidadãos eleitores Isaltino Inovar Oeiras, acrescentando que outras candidaturas independentes às próximas eleições autárquicas têm dado conta de que “têm sido criadas muitas dificuldades na abertura de contas bancárias a estes movimentos”.

 

 

Recomendadas

Governo recebe 300 milhões da CGD em dividendos extraordinários

Com este dividendo extraordinário, o Estado recebe ao todo em 2021, da CGD, 383,6 milhões de euros.

Haitong Bank liderou a emissão de obrigações da Mota-Engil num sindicato que incluiu CaixaBI, Finantia e Novobanco

Nesta emissão, a Mota-Engil compromete-se a melhorar um indicador (KPI) de modo a alcançar a uma meta de desempenho de sustentabilidade (SPT) em 31 de dezembro de 2025; caso a emitente não cumpra esse objetivo, pagará uma remuneração adicional de 1,25 euros por obrigação Mota-Engil 2026 na data de reembolso final do empréstimo.

Novo Banco avança com execução de 7,6 milhões a Luís Filipe Vieira

A ação de execução visa executar a Promovalor, Luís Filipe Vieira, a sua mulher, Vanda Ribeiro Vieira, e o sócio Manuel Almerindo Duarte
Comentários