Lotação esgotada em três Escolas de Enfermagem e no ISCTE. Na Nova restam duas

Os cursos de Informação e Jornalismo mantêm-se entre os mais procurados pelos candidatos, não restando qualquer vaga disponível. O mesmo acontece nos cursos de Direito, Ciências Veterinárias e Serviços de Transporte.

Das 55 307 vagas disponibilizadas na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior para o ano letivo de 2021/2022 sobram 6 393 vagas para a segunda fase, que arranca a 27 de setembro e termina a 8 de outubro.

Os dados divulgados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior no último minuto deste sábado, 25 de setembro, mostram quatro instituições com a lotação esgotada: ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa e Escola Superior de Enfermagem do Porto.

No universo mais alargado das Universidades destaca-se a Nova, onde restam apenas duas vagas. A Universidade NOVA de Lisboa colocou 2932 alunos na primeira fase do concurso, tendo aumentado em 11% o número de candidaturas em 1ª opção. Ou seja, 5015 alunos ambicionavam, como primeira escolha, ingressar num curso da NOVA.

A Universidade NOVA de Lisboa lidera, a nível nacional, em 16 cursos de diversas áreas, ou seja, em 40% do total da sua oferta: Antropologia, Biologia Celular e Molecular, Conservação-Restauro, Ciência Política e Relações Internacionais, Ciências da Comunicação, Ciências da Linguagem, Ciências Musicais, Filosofia, Geografia e Planeamento Regional, História, História da Arte, Sociologia (regime pós-laboral), Tradução, Ciências da Nutrição, Gestão de Informação e Sistemas e Tecnologias de Informação.

“O aumento do número de candidaturas em primeira opção é o reconhecimento da excelência do ensino da NOVA e reforça a nossa de missão de Universidade comprometida com o desenvolvimento do país, a quem deve servir através do conhecimento”, afirma João Sàágua, Reitor da Universidade NOVA de Lisboa. “Todas as nossas faculdades estão de parabéns. Aos alunos que passam a integrar a comunidade NOVA, desejo os maiores sucessos”.

Com 198,14% pontos, o Iscte é a universidade com maior “Índice de Força”, o indicador que mede a relação entre as vagas preenchidas e as primeiras escolhas dos estudantes.  A larga maioria dos colocados escolheu os cursos como primeira opção. “O Iscte – IUL é, pelo segundo ano consecutivo, a única universidade pública a esgotar todas as vagas na primeira fase de candidaturas ao ensino superior de 2021”, destaca a instituição liderada por Maria de Lurdes Rodrigues.

“Esta elevada procura por parte dos estudantes é o reconhecimento da qualidade do seu ensino e da capacidade de inovação que o Iscte demonstra ano letivo, após ano letivo: muito gostaríamos de poder receber todos os estudantes que nos procuram”, afirma a reitora. Segundo Maria de Lurdes Rodrigues, “estes resultados reforçam a solidez da posição que o Iscte ocupa no conjunto das universidades públicas portuguesas”.

O Iscte registou subidas de médias em várias das suas licenciaturas, como Arquitetura, Sociologia, Antropologia ou Psicologia. Noutras licenciaturas verificou-se uma estabilização das subidas verificadas em 2020, casos das licenciaturas em Gestão, em Economia e nas Engenharias.

Engenharia e Técnicas Afins foi a área que mais vagas disponibilizou: 10363, tendo colocado 8011 alunos. As Ciências Empresariais são o segundo maior grupo da oferta, com 8103, das quais restam apenas 577. A área d Saúde disponibilizou 6962, dos quais 6998 foram ocupados. Nos cursos de Informação e Jornalismo não restam vagas, nem nos de Ciências Veterinárias, o mesmo acontecendo em Direito e Serviços de Transporte.

 

VAGAS

Na Universidade dos Açores sobram  70 vagas para a segunda fase, na Universidade do Algarve 197, na Universidade de Aveiro 64, na Universidade da Beira Interior 124, na Universidade de Coimbra 128, na Universidade de Évora 105, na Universidade do Minho 110, na U.Porto 128, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro 200, na Universidade da Madeira 120 e na Universidade de Lisboa,  a instituição que mais vagas disponibilizou (7672) restam por preencher 52.

No Politécnico de Beja transitam para a segunda fase 216 vagas, no IPCA 83, no Politécnico de Bragança 1178, no de Castelo Branco 443 e no Politécnico de Coimbra 392. Já na Guarda restam ainda 354 lugares, no IPLeiria 263, no Politécnico de Lisboa 194, no de Portalegre 206. O Politécnico do Porto esteve entre as instituições de ensino superior mais procuradas nesta primeira fase, tendo colocado 3124 alunos, o maior número registado num estabelecimento do género, deixando disponíveis apenas 64 lugares.

Os dados do MCTES dão ainda conta de 235  no Politécnico de Santarém, 282  no IPSetúbal, 355 no IPViana do Castelo, 480 em IPViseu e 276 no IPTomar.

 

 

Recomendadas

Ministro da Educação integra Comité de Alto Nível da UNESCO

Tiago Brandão Rodrigues foi eleito, juntamente com o ministro da Educação, Juventude e Desportos francês, para Comité que acompanha a implementação do quarto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável.

Ex-ministro Adalberto Campos Fernandes vai coordenar Ciências da Saúde na Europeia

A Universidade Europeia tem previsto “um forte investimento” na área da saúde, nomeadamente em tecnologia, inovação, capital humano e novos programas, revela a reitora Hélia Gonçalves Pereira.

Foguetes construídos por universitários lançados em Santa Margarida

Portugal recebe até domingo, 17 de outubro, a maior competição mundial de foguetes desenhados e construídos por estudantes universitários. A maior parte das atividades decorrem amanhã, sexta-feira, e no sábado.
Comentários