ISEC e a editora criam observatório de startups portuguesas

Instituto Superior de Engenharia de Coimbra une-se à Diário de Bordo para analisar o desempenho destas empresas, propor sinergias e prestar apoio a projetos inovadores.

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) anunciou esta terça-feira que, em parceria com a editora Diário de Bordo, irá criar um observatório de startups portuguesas para analisar o desempenho destas empresas, identificando fatores de sucesso e insucesso na sua performance.

O “Observatório das Startups Portuguesas” começará por examinar empresas das áreas tecnológicas, estudando o seu funcionamento para lhes propor inovações ou parcerias – nacionais ou mesmo internacionais – que potenciem o sucesso, segundo a informação divulgada à imprensa.

“Vamos criar um registo central de todas as startups portuguesas, que será pioneiro no país”, afirma o presidente do ISEC. “Ao registá-las iremos conhecê-las e entender a sua evolução na concretização dos seus projetos. Identificaremos os fatores de sucesso e insucesso de cada uma das startups e, com o conhecimento que temos do tecido empresarial, iremos propor-lhes parcerias com as empresas nacionais e internacionais mais adequadas”, explica Mário Velindro.

O acordo entre o ISEC e a editora especializada em tecnologia e segurança prevê ainda o auxílio aos projetos mais promissores e a conceção de um conjunto de iniciativas para estimular o debate em torno de questões como a segurança nas atividades económicas, no âmbito de seminários e conferências que serão realizados em Coimbra.

“Esta parceria irá criar oportunidades de emprego para estudantes do ISEC, os quais terão a possibilidade de integrarem projetos das startups ligadas à engenharia. Temos tido acesso a alguns projetos muito promissores de startups especializadas em engenharia aeronáutica e segurança”, diz o presidente do ISEC. “É o caso de um plano para a criação de pórticos inteligentes nas entradas dos aeroportos”, exemplifica Mário Velindro.

Recomendadas

Inokem. Startup dos desinfetantes vai tornar-se 100% verde

A biotecnológica cofundada por Pedro Martins vai aumentar o investimento em soluções de combate aos vírus para mais de 45 mil euros este ano. “Temos planos para a criação de um laboratório especializado em desenvolvimento de soluções exclusivamente biológicas e direcionadas para as empresas e consumidor doméstico”, disse o empreendedor ao Jornal Económico.

Klarna torna-se na startup mais valiosa da Europa

O valor da Klarna subiu depois de a empresa sueca ter fechado uma ronda de investimento de 1 mil milhões numa combinação de investidores novos e outros ‘da casa’.

Lisboa’s Growth Program oferece 500 mil euros a startups e nómadas digitais para promover a inovação

Para ter acesso a estes 500 mil euros, é preciso fazer uma candidatura no site Made of Lisboa.
Comentários