Israelitas investem 14 milhões na primeira fase de projeto imobiliário em Espinho

Verba será colocada na construção de mais de 80 apartamentos que integram o empreendimento Espinho Business Center, cujo investimento total é de 80 milhões de euros

Espinho Business center

O Grupo Fortera vai investir 14 milhões de euros na construção de mais de 80 apartamentos que fazem parte da primeira fase do projeto imobiliário ‘Espinho Business Center’, cujo valor total é de 80 milhões de euros informa a promotora israelita em comunicado esta sexta-feira, 18 de junho.

Este empreendimento será destinado a habitação, comércio, serviços e hotelaria, indo também criar cerca de 130 postos de trabalho durante a obra e mais 150 depois da sua conclusão. O ‘Espinho Business Center’ vai surgir na antiga parte industrial da cidade, e promete ter um grande impacto no desenvolvimento e requalificação da zona sul da cidade, num terreno de 23 mil m2.

Nos últimos quatro anos, a empresa concluiu nove projetos imobiliários em Gaia, Porto e Espinho, cujos investimentos ascenderam aos 21 milhões de euros, sendo que em 2019 o valor investido em aquisições foi de 45 milhões de euros.

“Vamos dar início a uma nova era e implementar pela primeira vez em Portugal uma nova forma de viver nos edifícios, algo inovador, fora da caixa, e que iremos partilhar muito em breve. Realizamos vários estudos para assegurar que estamos a incorporar no mercado algo que as pessoas querem e precisam em pleno Século XXI”, explica Elad Dror, CEO da Fortera.

O objetivo da empresa é criar um impacto duradouro nas cidades, que reformule o modo de viver em das pessoas.
“Estamos muito contentes com o voto de confiança da Assembleia Municipal, que representa as gentes de Espinho, que percebeu, que a melhor forma de mudar as cidades é criar fortes parceirias com investidores e, em conjunto, fazer grandes mudanças”, adianta o responsável.

Relacionadas

Israelitas investem 70 milhões em empreendimento imobiliário em Espinho

O ‘Espinho Business Center’ será destinado a habitação, comércio, serviços e hotelaria, indo criar cerca de 130 postos de trabalho durante a obra e mais 150 depois da sua conclusão.
Recomendadas
Claude Berda e José Cardoso Botelho da Vanguard Properties

Claude Berda da Vanguard Properties já tem nacionalidade portuguesa

Segundo um comunicado Claude Berda foi notificado pela Conservatória dos Registos Centrais da conclusão do processo de nacionalização, “com sucesso”.

PremiumFundo da Sonae Capital vende Porto Palácio Hotel por 62,5 milhões de euros

Carteira vendida por fundo gerido pela Sonae Capital integra três edifícios, na zona da Avenida da Boavista, no Porto, com cerca de 48 mil metros quadrados de área. Grupo continua a gerir o hotel.

Investimento imobiliário em Portugal registou quebra de 70% no primeiro semestre

Dos 530 milhões investidos durante a primeira metade do ano, 40% destinaram-se ao segmento de escritórios (210 milhões de euros), 31% para imóveis residenciais de arrendamento (165 milhões de euros) e 14% para retalho (75 milhões de euros).
Comentários