Italiano UniCredit e francesa Societé Generale estudam fusão

O UniCredit e a Societé Generale estão entre os maiores bancos da Europa, cada um com um valor de mercado de cerca de 32 mil milhões de euros.

O banco italiano UniCredit está a considerar uma fusão com a francesa Societé Generale, segundo noticiou o jornal “Financial Times”, na noite de domingo.

O diário de economia refere que ainda não foi feita qualquer oferta formal e que os responsáveis dos dois bancos estão nos estágios iniciais das negociações.

O mercado não reagiu negativamente à notícia, com a instituição financeira a manter o valor na sessão desta segunda-feira, 4 de junho, registando uma subida muita ligeira, de apenas 0,03%, enquanto os títulos da instituição financeira francesa sobem 1,73%.

O “Financial Times” reporta que o CEO da UniCredit, Jean-Pierre Mustier, francês e antigo executivo da Societé Generale, está a desenvolver o plano há meses.

A volátil situação política em Itália teria atrasado o cronograma de uma possível fusão.

Depois de um período de impasse, após as eleições legislativas, o jurista Giuseppe Conte jurou, a 1 de junho, como novo primeiro-ministro de Itália perante o chefe de Estado, Sergio Mattarella, apoiado pelo Movimento Cinco Estrelas (M5S, antissistema) e a Liga (extrema direita).

O UniCredit e a Societé Generale estão entre os maiores bancos da Europa, cada um com um valor de mercado de cerca de 32 mil milhões de euros.

Ler mais
Relacionadas

Juros de Itália disparam com hipótese de renegociação da dívida

Os partidos populistas italianos Movimento 5 Estrelas e a Liga estarão a trabalhar num pedido de perdão da dívida no valor de 250 mil milhões de euros ao Banco Central Europeu. Os juros da dívida sobem e a bolsa tomba.

CGD quer fechar venda do banco em Espanha até ao fim de julho

A Société Générale, a Caixa BI e o escritório de advogados da Vieira de Almeida estão a assessorar a Caixa neste processo de venda.

CGD tem sete propostas não vinculativas para compra do banco em Espanha

Na edição de 13 de abril, o “Jornal Económico” noticiou que a CGD tinha mais de seis propostas em mãos para a venda do banco em Espanha e um calendário indicativo que prevê que o processo decidido até ao fim de julho, ficando nessa altura apenas a faltar as autorizações dos reguladores. A última palavra cabe ao Governo.
Recomendadas

Principal acionista do Haitong Bank conclui aumento de capital de 2,4 mil milhões

Comunicado do banco chinês reporta o aumento de capital da sua casa-mãe, numa estratégia de crescimento na China

PremiumBruxelas autorizou Novo Banco a financiar venda de imóveis

Na constituição do Novo Banco, a DG Comp da Comissão Europeia autorizou a instituição a conceder crédito aos compradores do imobiliário vendido pelo banco.

Responsabilidades do BES para com o Fundo de Pensões dos administradores vão ser extintas

A ASF autorizou a extinção das responsabilidades com pensões do ex-administradores executivos do BES.
Comentários