Já se pode candidatar ao segundo concurso de renda acessível em Lisboa

A “segunda bolsa de habitações” é composta por 30 casas, com tipologias que vão do T1 ao T4. No primeiro concurso, que a acabou cem janeiro, foram garantidas 120 casas “a jovens e famílias da classe média, com rendas que não podem ultrapassar 30% do rendimento líquido dos agregados familiares”.

As candidaturas ao segundo concurso do Programa Renda Acessível da Câmara de Lisboa, que integra 30 casas, abrem esta sexta-feira e decorrem até meados de setembro, anunciou o município. Em comunicado, a Câmara de Lisboa refere que esta “segunda bolsa de habitações” é composta por 30 casas, com tipologias que vão do T1 ao T4.

De acordo com a autarquia, “todo o processo de candidatura, incluindo a seleção das casas e documentação necessária, será realizado através do portal que congrega os vários programas de acesso à habitação do município.

Na nota é ainda referido que está prevista a abertura de novos concursos “nas próximas semanas”, com as restantes casas “asseguradas através do programa Renda Segura, bem como do património disperso que a autarquia tem reabilitado”.

Segundo a Câmara de Lisboa, no primeiro concurso da Renda Acessível, que terminou em janeiro, foram garantidas 120 casas “a jovens e famílias da classe média, com rendas que não podem ultrapassar 30% do rendimento líquido dos agregados familiares”.

O período de candidaturas irá decorrer a partir de hoje até às 17:00 do dia 14 de setembro.

Estes contratos de arrendamento têm uma duração de dois anos, podendo ser renovados por mais três. Posteriormente, e caso o inquilino continue a ter os requisitos necessários para permanecer naquela habitação, haverá uma nova renovação do contrato. Pode consultar os imóveis na plataforma sem precisar de efetuar qualquer registo.

Para se poder candidatar ao PRA necessita de preencher os seguintes requisitos: o valor do rendimento bruto do agregado habitacional deve fixar-se entre o salário mínimo nacional (8.400 euros anuais por pessoa) e um máximo de 35 mil euros por ano por pessoa. No caso de serem duas pessoas o valor máximo permitido é de 45 mil euros por ano. Por último, caso sejam mais do que duas pessoas, o valor continua a ser de 45 mil euros a que se acrescentam mais cinco mil euros anuais por cada um dos elementos.

A sua candidatura pode ser feita presencialmente ou então na plataforma online. Nesta plataforma pode ver as condições de acesso necessárias para cada programa, os programas disponíveis, as habitações associadas e ainda simular uma candidatura sem precisar de se registar e assim ficar a saber qual o tipo de tipologia a que se pode candidatar e qual o valor da renda. Os únicos elementos que precisa de preencher são o número de pessoas do seu agregado familiar ao ano fiscal de 2018 e o número de pessoas dependentes.

Depois de efetuar todo o processo de registo da sua candidatura poderá então simular e iniciar o processo da mesma. Quando escolher a opção ‘renda acessível’ ficará desde logo a saber se preenche ou não os requisitos de acesso, bem como as tipologias e rendas a que terá direito. Caso cumpra todos estes requisitos pode então escolher por ordem os imóveis que mais lhe agradam, podendo escolher as residências por tipologia e freguesia.

O último passo será submeter a sua candidatura e aguardar pelo mês de fevereiro para ficar a saber se foi um dos escolhidos do Programa de Rendas Acessíveis da Câmara de Lisboa.

Ler mais
Recomendadas

Como usar a aplicação “Calendário” do Windows 10 para organizar a sua vida

O Windows 10 tem uma aplicação de calendário completa e versátil. Veja como a configurar e utilizar.

“O melhor candidato é aquele que o nosso cliente contrata”

Nesta entrevista ao JE, João Maciel diz que o advogado é um “problem solver” e aconselha a ter uma visão realista da profissão. Na hora de recrutar, acrescenta, as sociedades privilegiam a Universidade, a média do curso e as línguas estrangeiras.

Clientes que não queiram prolongar moratórias têm de informar banco até hoje

Os clientes que tenham aderido à moratória ficam automaticamente abrangidos, exceto quando comuniquem ao banco que não o pretendem, tendo para isso de o fazer até este domingo, 20 de setembro.
Comentários