Jack Ma quer dar 890 mil euros a empreendedores de África

O prazo de candidaturas para o “África Netpreneur Prize Iniciative” encerra a 30 de junho.

O prazo de candidaturas para o África Netpreneur Prize Iniciative (ANPI), concurso lançado pelo bilionário chinês do setor tecnológico Jack Ma, arrancou esta semana, visando encontrar empreendedores do continente com impacto positivo nas suas comunidades.

Segundo o portal oficial do prémio, o concurso destina-se a empreendedores de todos os países africanos, género e grupos etários, e inclui um prémio monetário de um milhão de dólares (cerca de 893 mil euros).

O prazo de candidaturas encerra a 30 de junho. Depois de um processo de revisão, dividido em duas etapas, dez finalistas vão apresentar, em novembro, as suas ideias a Jack Ma, e entres estes será escolhido o vencedor.

A competição vai se realizar anualmente, ao longo dos próximos dez anos. A política e ativista dos Direitos Humanos moçambicana Graça Machel e Ban Ki-moon, ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas, fazem parte do conselho consultivo da ANPI.

Todos os dez finalistas vão ainda receber financiamento da Fundação e serão integrados na comunidade Netpreneur, para impulsionar e partilhar as respetivas experiências. “Até 2030, esperamos identificar e distinguir 100 empreendedores africanos que vão inspirar o continente”, disse Beth Yu, secretário executivo geral da Fundação Jack Ma.

Recomendadas

BICV e Ecobank emprestam 21 milhões de euros à Cabo Verde Airlines

Os representantes dos bancos, BICV e Ecobank, que vão assegurar este financiamento assumiram acreditar no projeto, classificando-o de “estratégico” para Cabo Verde.

Governo de Cabo Verde vai impedir interferência na aprovação do orçamento do banco central

Segundo o ministro das Finanças cabo-verdiano, os órgãos do Banco de Cabo Verde terão “todos os poderes para fazer a gestão da instituição e prestar contas às entidades externas nos termos que a lei dispõe”.

Ulisses Correia: “É preciso investir mais nas posturas municipais e na autonomia das famílias”

O primeiro-ministro de Cabo Verde disse afirma que toda a estratégia de desenvolvimento do país tem “necessariamente” de se basear em horizontes temporais de longo prazo para atingir objetivos com “consistência, perseverança e atitude empreendedora”.
Comentários