PremiumJoacine Katar Moreira em vias de ficar livre do partido que a elegeu

Assembleia do partido quer discutir tema no congresso deste fim de semana, onde será votada moção que propõe a retirada da confiança à deputada. Livre pode perder a representação parlamentar.

A deputada única do Livre, Joacine Katar-Moreira, corre o risco de perder a confiança política do partido e passar a deputada não-inscrita. Em causa está uma decisão tomada pela Assembleia do Livre (órgão máximo entre congressos) para que seja introduzido um novo ponto na ordem de trabalhos do IX Congresso do partido, que se realiza neste fim de semana, em Lisboa. Os membros da Assembleia entendem que não é possível manter a confiança política “em quem, por opção própria, reiteradamente prescindiu” de representar o partido.

“Considerando que a eleição para a Assembleia da República de uma representante do Livre é uma responsabilidade que transcende a deputada eleita, e porque não se vislumbra da parte da deputada, Joacine Katar-Moreira, qualquer vontade em entender a gravidade da sua postura, nem intenção de a alterar, a Assembleia do Livre delibera retirar a confiança política à deputada”, indica o órgão máximo do Livre entre congressos, numa deliberação que poderá vir a ser votada este sábado pelos membros e apoiantes do partido, com quotas em dia pagas até ao Congresso.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumFatura Amiga da Deco tem 7.592 utilizadores (55 na Madeira)

O projeto que pretende contribuir para um consumo mais sustentável e eficiente, tem feito com que os consumidores estejam mais atentos à fatura da eletricidade.

PremiumEstudante da UA integra liderança de organização mundial

Carlos Pinto foca a sua investigação na tecnologia de alta pressão, que permite a pasteurização de alimentos a frio.

PremiumDespenalizar não é querer, é respeitar

Despenalizar a eutanásia, e o suicídio assistido, não significa ser a favor da eutanásia. Mesmo nas circunstâncias restritas que vão ser discutidas e eventualmente aprovadas dia 20, o Estado não será a favor da eutanásia. Dizer o contrário é tão falso como, permita-se o paralelo, dizer que o Estado é a favor da interrupção voluntária da gravidez porque a despenalizou.
Comentários