PremiumJoão Moreira Rato passa a ‘chairman’ do Banco CTT

Luís Pereira Coutinho será reconduzido para mais um mandato na liderança executiva do Banco dos Correios.

João Moreira Rato, que foi presidente do IGCP durante a troika, será o novo presidente do conselho de administração (chairman) do Banco CTT, para o triénio 2019-2021, apurou o Jornal Económico (JE) junto de fonte próxima ao processo. João Moreira Rato vai substituir Francisco Lacerda que renunciou, há uma semana, aos cargos de CEO dos CTT- Correios de Portugal, e de chairman do banco detido a 100% pelos Correios. Questionado pelo JE, João Moreira Rato não quis prestar declarações. Segundo a mesma fonte, Luís Pereira Coutinho será reconduzido no cargo de presidente da comissão executiva (CEO) do Banco CTT. Até ao fecho desta edição, o JE não conseguiu obter declarações do gestor.

Recorde-se que o mandato dos atuais titulares do conselho de administração do Banco CTT terminou em 2018, devendo ser designados novos titulares para o triénio 2019-2021. De acordo com os estatutos do Banco, com a exceção do mandato de quatro anos dos órgãos sociais que iniciaram funções em 2015, “os membros dos órgãos sociais são designados por mandatos de três anos”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Isabel dos Santos deve mais de 500 milhões de euros à banca

O regulador bancário já terá pedido a todas as instituições uma atualização sobre os financiamentos, assim como aos auditores externos para verificarem a adequação dos níveis de imparidades, noticia o “Expresso”. “Correio da Manhã” revela que CGD e BCP concentram os valores mais elevados dos empréstimos.

‘Rebranding’ ao fim de 293 anos. Royal Bank of Scotland muda de nome

Alison Rose afirmou que este é o momento certo para fazer uma mudança e alterar o nome do RBS, que já data 293 anos. No entanto, as agências bancárias, como o Ulster Bank, na Irlanda do Norte, do RBS vão manter o nome.
Revolut

Revolut passa a estar disponível na aplicação Dabox

Os utilizadores – independentemente de serem ou não clientes da Caixa Geral de Depósitos – conseguem agora agregar a sua conta na fintech britânica à ‘app’ da CGD.
Comentários