João Proença: “Conselho Diretivo não faz mais convenções e as Finanças estão a pôr em causa a sustentabilidade”

Presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE lança críticas duras a quem entende pôr em causa a sustentabilidade do sistema.

João Proença | Cristina Bernardo

O presidente do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, João Proença, assumiu divergências com o Conselho Diretivo do instituto público, que “não faz mais convenções” apesar da insistência dos representantes dos beneficiários.

Essa é uma questão que o ex-secretario-geral da UGT considera essencial numa mudança da “cultura da ADSE”, lembrando que há regiões do país em que os beneficiários não têm opções para receber serviços de saúde.

“As Finanças resolveram que não há alargamento, enquanto não houver dados de tudo”, disse João Proença, na conferência “Uma ADSE com Futuro”, que está a decorrer na ADSE, acusando-a de estar a pôr em causa a sustentabilidade do sistema.

João Proença frisou que a ADSE tem um problema de gestão, que deve ser encarado numa perspetiva de relacionamento com as tutelas e o sistema de saúde.

Recomendadas

Von der Leyen aguarda “bons resultados” da presidência portuguesa da UE

Numa entrevista à agência Lusa na véspera da sua primeira visita oficial a Portugal desde que assumiu a presidência do executivo comunitário, Ursula von der Leyen, antecipando a quarta presidência portuguesa da União, sublinha que esta “surge num momento crucial”, pois a pandemia, que provocou a maior crise na Europa desde a II Guerra Mundial, “ainda não acabou e a recuperação está ainda numa fase inicial”.

Von der Leyen: Portugal está no bom caminho energético e digital

“Já antes da pandemia, Portugal estava no bom caminho para garantir um cabaz energético mais limpo e uma maior digitalização”, declara a responsável, numa entrevista à agência Lusa na véspera da sua primeira visita oficial a Portugal enquanto presidente do executivo comunitário.

Portugal será importante beneficiário do fundo de recuperação, sublinha Von der Leyen

Em entrevista à agência Lusa na véspera da sua primeira visita oficial a Portugal enquanto presidente do executivo comunitário, Ursula von der Leyen afirma que “os cidadãos portugueses lutaram de forma muito corajosa e disciplinada contra o vírus e até têm sido mais bem-sucedidos do que outros”, e podem contar com o apoio da UE, que ajudará igualmente a “impulsionar” a retoma da economia portuguesa.
Comentários