Joe Berardo pondera chamar Vítor Constâncio como testemunha contra banca

O empresário e coleccionador de arte português José Berardo está a estudar a hipótese de chamar o antigo governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio como testemunha num processo movido pelos bancos, revela o “Público” esta segunda-feira. Em causa está o processo judicial para recuperar 962 milhões de euros. A informação foi transmitida ao […]

O empresário e coleccionador de arte português José Berardo está a estudar a hipótese de chamar o antigo governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio como testemunha num processo movido pelos bancos, revela o “Público” esta segunda-feira. Em causa está o processo judicial para recuperar 962 milhões de euros.

A informação foi transmitida ao diário por uma fonte da Fundação José Berardo, que explicou que a intenção se deve ao facto de o político e economista ter dito que a Caixa Geral de Depósitos “deveria ter tomado decisões antes de as ações terem começado a descer”, o que “não aconteceu”.

No mês passado, o Jornal Económico noticiou que a totalidade da coleção Berardo arrisca ser penhorada pelos principais credores de Joe Berardo.

Caixa Geral de Depósitos, BCP e Novo Banco querem reaver créditos em torno de mil milhões de euros através da execução de penhores dos títulos da Associação Coleção Berardo, proprietária das obras de arte que foram cedidas ao Estado. Estes são os bens móveis de Joe Berardo sinalizados pelos bancos para penhorar no âmbito da acção judicial que avançaram no final de abril contra o empresário, juntando esforços para executar a dívida do empresário madeirense que ascende a 962 milhões de euros.

Vítor Constâncio autorizou Joe Berardo a ir levantar 350 milhões à Caixa

Ler mais
Recomendadas

Taxas Euribor renovam mínimos de sempre a três, seis e 12 meses

Taxa Euribor a seis meses desceu esta quarta-feira para -0,357%, novo mínimo de sempre e menos 0,007 pontos do que na sessão anterior.

Crédito Agrícola é o primeiro banco português a disponibilizar o Apple Pay

O banco garante que a utilização desta funcionalidade não tem qualquer custo para o utilizador e a aceitação de pagamentos através do Apple Pay não representa custos adicionais para o comerciante.

E se não houvesse crédito aos consumidores?

Se assim fosse, na categoria técnica de crédito ao consumo, seríamos uma sociedade menos dinâmica, socialmente menos desenvolvida, e tendencialmente mais pobre.
Comentários