Jogadores da Premier League já negoceiam reduções salariais. Cortes podem chegar aos 50%

Através de um comunicado, o sindicato dos futebolistas informou que “vários clubes já entraram em contacto com os respetivos jogadores para impor o adiamento dos pagamentos salariais”.

Com a incerteza a pairar um pouco por todo o mundo desportivo, a principal liga de futebol europeia, a Premier League, já anunciou que está a negociar com a Associação de Jogadores Profissionais de Futebol ingleses (PFA – sigla em inglês) a redução dos salários dos jogadores, com o objetivo de proteger a saúde financeira dos clubes, segundo o portal “Palco 23”.

Os jogadores das duas principais ligas inglesas (primeira e segunda divisão) disponibilizaram-se no sentido de reduzir o custo económico da crise do Covid-19 para os clubes. Antes de ser anunciado o intervalo na competição, a PFA solicitou um encontro com os responsáveis ​​da Premier League (primeira liga) e pelo Championship (segunda liga), para negociar reduções salariais de até 50% durante o intervalo.

Através de um comunicado, o sindicato dos futebolistas informou que “vários clubes já entraram em contacto com os respetivos jogadores para impor o adiamento dos pagamentos salariais”.

As competições estão suspensas até 30 de abril, mas o período pode ser estendido dependendo da situação de emergência sanitária no Reino Unido. “Nestes tempos difíceis, existe um amplo consenso público em ver que o futebol está solidário com outros trabalhadores e indústrias afetados pela crise”, explicou a PFA no mesmo comunicado.

Aqueles que concluem o contrato no final desta época é outra das preocupações do sindicato dos futebolistas, uma vez que os contratos devem ser prorrogados caso o campeonato seja encurtado. A PFA planeia também analisar a adoção de protocolos que ofereçam a opção de treinar em instalações fechadas para exercícios em grupo ou sessões de preparação em pares, entre outras alternativas.

Recomendadas

Clubes da Primeira Liga querem pagamentos antecipados por jogos que podem não se realizar, mas patrocinadores recusam

“Todos os clubes têm o mês de março completamente pago, havendo mesmo casos com adiantamentos na sua posse: 14 jogos pagos para 12 realizados”, disse uma fonte próxima dos patrocinadores, ouvida pelo Jornal Económico.

FIFA prepara “plano Marshall” para amenizar impactos da Covid-19 no futebol

A proposta, citada em referência ao pacote de apoio financeiro dos Estados Unidos que ajudou a reconstruir a Europa após a Segunda Guerra Mundial, poderá ver a FIFA a mergulhar nas suas reservas de 2,7 mil milhões de dólares (2,5 mil milhões de euros) caso seja posta em prática.

Torneio de Wimbledon cancelado pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial

Depois de várias reuniões realizadas esta semana o All England Lawn Tennis Club (AELTC) anunciou que era impossível que um dos quatro torneios que fazem parte do Grand Slam, marcado de 29 de junho a 12 de julho fosse realizado devido à pandemia da Covid-19.
Comentários