Jorge Silva toma posse como bastonário da Ordem dos Notários

Novo bastonário afirmou que “a existência de notários não decorre de interesses corporativos ou económicos, mas sim da importância que temos na satisfação das necessidades da população, e dos serviços que prestamos a cidadãos e empresas”.

Tomou hoje posse o novo Bastonário da Ordem dos Notários, Jorge Silva, eleito em novembro com 51,58% dos votos dos membros da Ordem.

No seu discurso de tomada de posse, Jorge Silva afirmou que “a existência de notários não decorre de interesses corporativos ou económicos, mas sim da importância que temos na satisfação das necessidades da população, e dos serviços que prestamos a cidadãos e empresas”.

“Durante os anos de austeridade”, continuou o Bastonário, “os notários sofreram ao lado dos portugueses que perderam o seu emprego, que foram obrigados a fechar as suas empresas, dos que tiveram que emigrar”, num “esforço” que entende ter sido “reconhecido pelos portugueses”, já que “quando estes se reergueram procuraram os notários para constituírem as suas novas empresas e os ajudarem na formalização de investimentos”.

Antes da sua eleição, em entrevista ao Jornal Económico, Jorge Silva considerou que “o momento que o notariado atravessa é de indefinição”, já que “existe uma grande confusão e indefinição de funções entre advogados, notários e solicitadores, o que é nocivo para o país”. Um dos objetivos a que propõs como bastonário, disse á altura, era o de “sentarmo-nos com o Governo e esclarecermos os cidadãos sobre o que efetivamente cada um faz”.

“Acima de tudo”, declarou Jorge Silva nessa entrevista, “quero que daqui a 4 anos” os notários “tenham a possibilidade de concorrer com qualquer prestador de serviços, público ou privado, em qualquer área, desde que seja em igualdade de circunstâncias.”

 

Ler mais
Relacionadas

Jorge Silva eleito bastonário da Ordem dos Notários com 51,58% de votos

A lista A, liderada por Jorge Silva, notário da Maia (distrito do Porto), que se apresentou a votos com o objetivo de fazer uma “revolução digital no notariado português”, obteve 51,58% dos votos expressos, enquanto a lista adversária obteve 43,7%, dos 380 votos expressos.

Notários: Candidato a bastonário quer uma rede nacional de prestações de serviços

Em entrevista ao Jornal Económico, Jorge Silva diz que o futuro da profissão passa, obrigatoriamente, pela digitalização e estabelece como objectivo que os notários sejam uma rede de prestação de serviços, dentro de 4 anos.
Recomendadas

SNS prescreveu mais de 5 mil receitas médicas por hora em 2019

Em Portugal Continental, e no âmbito do Serviço Nacional de Saúde (SNS), foram prescritas, em 2018, 161 milhões de embalagens de medicamentos, o correspondente, em média, a 18.415 medicamentos por hora, mais do dobro do que em 1990. Em relação ao número de receitas médicas, em 2019, foram prescritas cerca de 49,6 milhões de receitas, […]

Despesas de saúde em Portugal representam 9% do PIB

Em 2017, Portugal era o 10º país da União Europeia em que a percentagem de despesas em saúde no total do Produto Interno Bruto era mais elevada. Celebra-se esta terça-feira o Dia Mundial da Saúde.

Governo reitera que projeto da linha circular do Metro de Lisboa é para avançar

O ministro do Ambiente reiterou hoje que a obra da linha circular do Metro de Lisboa vai continuar, defendendo que não há outro projeto em Portugal com este impacto que possa vir a ser concluído até ao final de 2023.
Comentários