Juros das ‘bunds’ alemãs abaixo da taxa de depósito definida pelo BCE

A rentabilidade dos juros das ‘bunds’ alemãs caíram para -0,41% durante a sessão desta quinta-feira, abaixo da taxa de juro de depósitos definida pelo Banco Central Europeu, fixada em -0,4%. Isto significa que a Alemanha cobra mais aos investidores do que o BCE cobra aos bancos para guardar os excessos de liquidez.

Reuters

As taxas de juro da dívida alemã a dez anos, a referência para a Europa, chegou a estar abaixo da taxa de juro de depósitos definida pelo Banco Central Europeu (BCE), que está fixada atualmente em -0,4%.

A rentabilidade dos juros das bunds alemãs caíram para -0,41% durante a sessão desta quinta-feira. Assim, uma vez que taxa de juro de depósito corresponde à remuneração recebida por um depósito, a situação verificada esta quinta-feira significa que a Alemanha cobra mais aos investidores do que o BCE cobra aos bancos para guardar os excessos de liquidez.

De acordo com o “El Economista”, teoricamente as yields da dívida alemã benchmark abaixo de 0,4% significa que a dívida alemã oferece mais segurança do que os próprios fundos do BCE, lê-se na publicação. O mercado já está a descontar a queda das taxas de juro que se deverá produzir a partir de setembro – prevendo-se que baixem para -0,5% em setembro e para -0,6% em dezembro.

No entanto, como o bund alemão já está está a pagar menos que as taxas de depósito definidas pelo BCE, espera-se que a redução nas taxas de juro esteja iminente, e poderá acontecer no dia 25 de julho, data da próxima reunião do banco central.

Relacionadas

“Herança muito perigosa”. Draghi deixa a Lagarde situação difícil, analisam economistas

Para Pedro Lino, economista e administrador da Dif Broker e da Optimize, “o testemunho que é passado a Christine Lagarde [na liderança do BCE] é diferente porque é uma bolha ainda maior”, sendo “uma herança muito perigosa que terá de ser gerida de maneira muito cautelosa”.

Setor bancário europeu continua a precisar de consolidar, afirma responsável do BCE

Andrea Enria falou hoje em Lisboa na conferência Anual do Centro de Investigação, Regulação e Supervisão Financeira, e refletiu sobre a dimensão do setor bancário.

Lagarde deverá manter herança de Draghi no BCE

Christine Lagarde assume a presidência do Banco Central Europeu no final de outubro. A sucessora de Mario Draghi não tem experiência em bancos centrais, mas tem defendido a importância dos estímulos que estes fazem. Com o desacelerar do crescimento da economia, taxas de juro baixas deverão ser para continuar.
Recomendadas

PSI 20 em queda acompanha Europa condicionada pelos receios de propagação do coronavírus

Doze empresas cotadas desvalorizam, cinco valorizam e uma cotada negoceia sem variação na bolsa nacional.

Wall Street contagiada pelo Covid-19. Ganhos de 2020 foram anulados num dia

O petróleo também está a cair. Em Londres, o barril de Brent, referência para a Europa, tomba 4,12%, estando a negociar nos 55,55 dólares. Já o West Texas Intermediate, nos Estados Unidos, desvaloriza 3,97%, para 51,26 dólares.

Coronavírus em Itália leva a ‘mini-crash’ nas bolsas da Europa

NOS, Mota-Engil, CTT e BCP lideram nas quedas de mais de 5%. A Europa viu os mercados de ações caírem fortemente com o avanço do coronavírus no norte de Itália. O ouro acabou por ser visto como ativo de refúgio e sobe 1,81%. Ao contrário o petróleo está em queda expressiva.
Comentários