Justiça brasileira autoriza a transferência de Lula da Silva para São Paulo

O ex-Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva foi autorizado esta quinta-feira pela justiça a transferir-se da sede da Superintendência da Polícia Federal na cidade de Curitiba para uma outra prisão no estado de São Paulo, anunciou fonte judicial.

A decisão foi anunciada pela juíza Carolina Lebbos, que atendeu um pedido da Polícia Federal do Paraná.

A data da transferência ainda não foi definida e caberá à Justiça Federal no estado de São Paulo decidir onde Lula da Silva continuará a cumprir o restante da pena de oito anos e dez meses de prisão.

A pena aplicada contra o antigo chefe de Estado brasileiro diz respeito a um caso julgado em três instâncias da justiça brasileira num processo da operação Lava Jato sobre a posse de um apartamento de luxo na cidade do Guarujá alegadamente dado ao ex-Presidente como pagamento de suborno pela construtora OAS.

Segundo informações da imprensa local, a defesa do ex-Presidente discordou do pedido de transferência e defendeu que Lula da Silva deveria ser colocado numa unidade militar até ao julgamento de um pedido de liberdade provisória que está a ser analisado no Supremo Tribunal Federal (STF).

Relacionadas

Candidato à presidência da Argentina visita Lula da Silva na prisão

Alberto Fernández viajará ao Brasil nas próximas horas para uma visita que foi organizada pelo antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de Lula, Celso Amorim, quem mantém frequente contacto com o candidato argentino.

Lula diz que facada a Bolsonaro “é estranha” e assume vontade em ser novamente presidente

O antigo presidente do Brasil, em entrevista ao canal TVT, abordou ainda a polémica em torno de Sergio Moro, ministro da Justiça, dizendo que “está ficando feliz com o facto de que o país finalmente vai conhecer a verdade”.

Sócrates: “Julgamento de Lula foi uma farsa. Cumplicidade de Sérgio Moro com o Ministério Público é simplesmente vergonhosa”

“A pergunta agora é o que vai fazer o Brasil? Para falar com franqueza, não sei. Mas sei que não há nada de mais intuitivamente ofensivo da decência humana do que condenar alguém sem provas e prendê-lo no seguimento de um julgamento injusto e parcial”, segundo o antigo-primeiro-ministro que volta a criticar Sérgio Moro.
Recomendadas

PremiumJustiça investiga três dos candidatos do PSD a deputados na Assembleia da República

Em causa estão crimes de corrupção, abuso de poder e falsidade informática. Visados são obrigados a apresentar demissão, caso sejam condenados. Direção do PSD recusa “julgamentos em praça pública”.

Pardal Henriques reage à acusação da PGR: “Nunca fiz nenhuma burla e aguardo para ser notificado”

O porta-voz do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) afirma que em abril o Departamento de Investigação e Ação Penal “respondeu-nos que não existia queixa nenhuma”.
pedro-pardal-henriques

Pardal Henriques é alvo de inquérito judicial, confirma PGR

“Confirma-se a existência de um inquérito, o qual se encontra em investigação no DIAP de Lisboa”, diz a PGR numa resposta escrita à agência Lusa sobre a existência de uma investigação a Pardal Henriques.
Comentários