PremiumJustiça congela contas do ex-gestor de fortunas de Isabel dos Santos no EuroBic

Contas de ex-gestor de empresária angolana no EuroBic foram congeladas. Bloqueio atinge mulher de Nuno Ribeiro da Cunha, que morreu em janeiro.

A Justiça portuguesa congelou as contas bancárias de Nuno Ribeiro da Cunha que o antigo gestor da conta de Isabel dos Santos tinha no EuroBic, onde a empresária angolana ainda é acionista, e que também tem como titular a sua mulher, revelou ao Jornal Económico (JE) fonte próxima ao processo.

Nuno Ribeiro da Cunha, que em janeiro deste ano foi encontrado morto na sua casa em Lisboa, efetuou algumas das transferências suspeitas da Sonangol que estão na mira do Ministério Público português e da justiça angolana num inquérito ao desvio de dinheiro da petrolífera angolana, que tinha como arguido o ex-gestor português, além de Isabel dos Santos e de outros portugueses.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Relacionadas

Morreu gestor de conta de Isabel dos Santos no EuroBic

Nuno Ribeiro da Cunha morreu, segundo apurou o Jornal Económico. Era o responsável por gerir a conta da empresária. O gestor foi ontem constituído arguido pela PGR de Angola, em conjunto com Isabel dos Santos.
Recomendadas

Produção industrial em Itália cai 2,4% em fevereiro

Em termos homólogos, a produção industrial subiu em bens de capital (1,4%) e baixou a de bens de consumo (3%), a de bens intermédios (2,3%) e a de energia (0,6%).

Mais de 10 mil pessoas protegidas pelo seguro Covid-19 da Tranquilidade/Generali

O produto destina-se a empresas que pretendem proteger os trabalhadores, sobretudo as que continuam em atividade nos seus edifícios e o risco de infeção é superior. Lançado há 10 dias, foi desenvolvido em parceria com a AdvanceCare e garante um subsídio diário de 100 euros por cada dia de hospitalização por esta doença.

Executivo ultima propostas para apoiar os media, mas falta consenso no setor

Media vão receber apoios estatais para enfrentar crise gerada pela pandemia da Covid-19. Governo anuncia apoios “em breve”.
Comentários