Justiça eficaz = crescimento económico

A corrupção é o cancro que mina a sociedade portuguesa e impede que os portugueses ganhem mais dinheiro, que Portugal ascenda ao lugar cimeiro entre os países europeus.

O PSD não é subalterno do PS, proclama Rui Rio e se calhar também os dois outros candidatos à liderança do PSD de que não me lembro o nome. Não sobressaiu até agora que tivessem alguma coisa de substantivo para apresentar. É ridículo e vergonhoso que o líder daquele que já foi um dos principais partidos e pilar constituinte da nossa democracia coloque a política na discussão de patentes hierárquicas interpartidos.

Em vez falar de questões de lana-caprina, seria interessante ouvir o líder e os candidatos a líder do principal partido da oposição falar de Política (com maiúscula) numa única frase, mantendo a cabeça e a voz firmes, com boa dicção, sem fogo de artifício nem barulho de luzes. Saber o que pretendem para Portugal e como o PSD irá ser o instrumento decisivo para melhorar o futuro coletivo dos portugueses.

Ainda não perceberam que a política se faz a partir da comunicação de uma única ideia, forte, concisa, englobante, emocional, repetida quantas vezes for necessária?

O que agora temos é uma arenga sem nexo, que nada diz sobre o dia a dia dos eleitores e sobre o futuro dos seus filhos, dita por cabeças falantes titubeantes, que ninguém entende, que ninguém quer ouvir. Sejamos claros e racionais: assim não vamos a lado nenhum.

Aqui vai uma ideia – a ideia decisiva.

Hoje, tudo que os políticos disserem que não prometa e cumpra ação firme e sustentada contra a corrupção é pura mistificação. A corrupção é a principal inimiga do progresso material da maioria dos portugueses, do seu bem-estar, de melhores salários, de maior qualidade de vida.

A corrupção é o cancro que mina a sociedade portuguesa e impede que os portugueses ganhem mais dinheiro, que Portugal ascenda ao lugar cimeiro entre os países europeus. A corrupção engendra desconfiança, destrói capital social, mina a coesão social. Só os casos BES e BPN já custaram dez mil milhões de euros aos contribuintes portugueses. Isto é igual a mil euros por cada português. Não basta?

O PSD deve prometer aos leitores que irá lutar sem tréguas contra a corrupção, contra os corruptos e os corruptores, sejam eles políticos, funcionários públicos ou oligarcas do setor privado. Esse é o combate de hoje.

Segundo um estudo do Eurobarómetro, 59% dos portugueses consideram que favorecer os amigos ou familiares nas instituições públicas é uma das práticas mais recorrentes em Portugal. Na opinião de 70% uma empresa só é bem-sucedida se tiver ligações políticas.

Investigadores da Universidade de Coimbra concluíram que a corrupção reduz a produtividade. O PIB português cresceria mais 1,7% se o nível de corrupção fosse igual ao da Alemanha. Portugal está no 30º lugar num ranking de 180 países enquanto a Alemanha ocupa o 11º.

Outro estudo a nível europeu revelou que a corrupção correlaciona na economia dos países com a emigração de quadros qualificados. Muitos preferem ir ganhar mais 400 euros por mês emigrando para outro país do que ficar manietados no seu país à mercê das manobras dos corruptos.

“Não chegamos a lado nenhum com 1% de crescimento, diz Álvaro Santos Pereira, antigo ministro independente e atual diretor do departamento de estudos sobre países da OCDE. A corrupção é inimiga do crescimento.

Numa entrevista à rádio Observador, Santos Pereira propôs diversas soluções para resolver a ineficiência do sistema judicial, inspiradas em medidas que outros países têm aplicado com sucesso no combate à criminalidade económico-financeira (resumo de Luís Rosa):

  • Mecanismos de colaboração premiada e de proteção de testemunhas que permitam à investigação ter acesso a prova documental (e não apenas testemunhal) que comprovem a prática dos crimes;
  • Mecanismos legais que permitam separar os crimes económico-financeiros, como fraude fiscal e branqueamento, dos crimes de corrupção, para um julgamento mais rápido;
  • Limitação dos recursos e eliminação de expedientes dilatórios para aumentar celeridade do processo penal;
  • Execução da pena de prisão após decisão da segunda instância que encerra a matéria de facto;
  • Tribunal de competência especializada para julgar os casos mais complexos da criminalidade económico-financeira.

Está aqui um plano que o PSD – ou qualquer outro partido – poderia e deveria adotar e colocar em prática de imediato.

Recomendadas

A idade sem razão

Insistir no uso da idade cronológica, ou a ausência de preocupação com o que representa a desvalorização social de se ser mais velho, é reveladora de uma enorme insensibilidade à mudança social. O resultado é o desperdício de capital humano para as sociedades que envelhecem.

Polígrafo de maçons

Como Rui Rio, considero importante saber se um homem público, que se propõe liderar um grande partido e, por extensão, arriscar-se a governar um país, é verdadeiramente livre, dono da sua ação

O psíquico de Trump

Trump conseguiu o que nenhum dos seus antecessores conseguiu. Pôr os europeus a gastar mais com a defesa, e reduzir significativamente a contribuição americana para o orçamento da NATO.
Comentários