Justiça inglesa perdoa 60 milhões de euros a Vale e Azevedo

João Vale e Azevedo foi declarado “exonerado da insolvência” que corria em Londres desde 2009, refere, em manchete, a edição deste domingo do “Correio da Manhã”.

O ex-presidente do Benfica João Vale e Azevedo foi declarado “exonerado da insolvência” que corria em Londres desde 2009, refere, em manchete, a edição dominical do “Correio da Manhã”.

Na sexta-feira, 16 de abril, o diário desportivo “Record”, do Grupo Cofina, referia que a justiça inglesa tinha exonerado Vale e Azevedo da insolvência, por “considerar que o antigo presidente do clube da Luz não tem capacidade para pagar os 60 milhões de euros que deve”, citando a TVI. O advogado ex-presidente do Benfica havia sido declarado insolvente há 11 anos.

Segundo a estação de televisão de Queluz de Baixo, os credores já foram notificados da decisão. “Entre eles, está o Benfica, que reclamava de Vale e Azevedo uma dívida de 15 milhões de euros, verba relativa a transferências de cinco jogadores e venda de terrenos, no chamado caso Euroárea”, refere o “Record”, adiantando que “o caso mais mediático relativo a atletas foi o do russo Ovchinnikov, que levou à condenação de Vale e Azevedo”.

Também o desportivo, “A Bola” referia na passada sexta-feira que “a decisão já foi dada a conhecer aos vários credores, onde está incluído o Benfica”, recordando que, “enquanto presidente, Vale e Azevedo terá desviado cerca de 15 milhões de euros entre desvios em negócios de transferências — ficou famosa a alegada apropriação de 640 mil euros na venda de Ovchinnikov — e na venda de terrenos (caso Euroárea)”.

“Desta forma, o antigo dirigente, atualmente a viver em Londres, tem restituídos todos os direitos, tal como adquirir imóveis e carros de luxo sem que os mesmos sejam imediatamente executados pelas autoridades”, adiantava “A Bola”.

Recomendadas

RTP “precisa de reforço” do financiamento para cumprir completamente novo contrato

“Não há qualquer dúvida que para cumprir completamente aquilo que vai estar disposto no futuro contrato de concessão, a RTP precisa de um reforço do seu financiamento e de um reforço orçamental”, reiterou Nuno Artur Silva.

Receitas totais da Vodafone sobem 0,3% no ano fiscal 2020/2021 para 1.084 milhões de euros

“Os resultados alcançados neste trimestre foram também impulsionados pelo desempenho consistente do negócio fixo, com os clientes de banda larga a atingirem 814 mil (+9,6% em termos homólogos) e os clientes de televisão a totalizarem 749 mil (+10,3% homólogos)”, adianta.

“Este verão poderá ser mais interessante que 2019 em alguns concelhos do Algarve”, realça Associação de Hotelaria de Portugal

Portugal volta, a partir desta semana, a receber turistas britânicos. Sendo que o Reino Unido é o maior mercado emissor de turistas para Portugal, o que se perspetiva para a hotelaria nacional? Cristina Siza Vieira, vice-presidente executiva da AHP – Associação da Hotelaria de Portugal, é a convidada nesta “Fast Talk” da JE TV.
Comentários