Leiria, distrito inovador

O caderno Especial “Destino Leiria” insere-se na aposta estratégica que o Jornal Económico tem vindo a realizar nas diferentes regiões do país.

O caderno Especial “Destino Leiria” insere-se na aposta estratégica que o Jornal Económico tem vindo a realizar nas diferentes regiões do país. Queremos dar a conhecer os empreendedores, as empresas e os casos de sucesso que criam emprego e riqueza em Portugal. A Região de Leiria é um excelente exemplo de um distrito que contribui positivamente para o desenvolvimento e para a balança comercial do país, devido ao perfil fortemente inovador e exportador das suas empresas.

Porém, o futuro vai exigir ainda mais da Região, das suas gentes e das suas empresas. A revolução digital está a mudar a forma como vivemos, trabalhamos, aprendemos e consumimos. Leiria terá de aproveitar ao máximo o potencial que possui para se transformar num hub de empresas de cariz tecnológico. Para tal, à semelhança do que tem sido feito também em distritos como Aveiro e Braga, a ligação entre as empresas e os estabelecimentos de ensino superior será crucial para atingir este objetivo de criar um pequeno “Silicon Valley” em Leiria. Outro aspeto decisivo será a capacidade de atrair e reter talento na Região, combatendo o envelhecimento e a desertificação. Leiria tem vários pontos fortes, nomeadamente a localização geográfica, a qualidade de vida, o clima e a natureza. Mas é preciso mais para atrair jovens qualificados e neste Especial procuramos saber de que forma as empresas, as autarquias e as instituições de ensino superior encaram este e outros desafios.

Recomendadas

O BCE e a inflação no pós-pandemia

Christine Lagarde lançou um alerta aos governos e aos “falcões” no seio do BCE: a eventual subida da inflação, após o fim do confinamento, não pode servir para justificar uma antecipação da retirada dos estímulos monetários. Se este cenário ocorrer, o BCE deverá deixar claro que está disposto a tolerar um pouco de inflação, durante algum tempo, sem mexer nos estímulos monetários. Para Portugal e outros países mais frágeis, esta clarificação será fundamental.

Quem criou Donald Ventura?

Na batalha política, apontar as culpas ao adversário errado é perigoso, porque o outro concorrente, o verdadeiro culpado que joga sujo, sai ileso e pronto a causar mais danos. Não devia ser preciso explicar isto a alguns políticos.

Abusos de poder

Nos Estados Unidos com Trump, em Portugal com dois jornalistas. Há poderes que precisam de ser enquadrados e outros de ser mais corajosos e menos corporativos.
Comentários