Lesados do BES na Venezuela exigem ao Governo medidas urgentes

Os lesados do antigo banco emigrantes na Venezuela estão, dizem, numa situação desesperada. Vão manifestar-se junto da residência oficial de António Costa para tratamento igual aos colegas de Portugal.

A Associação de Lesados do Banco Espírito Santos (BES) Emigrantes na Venezuela (ALEV), juntamente com a Associação de Defesa dos Clientes Bancários (ABESD), emitiram um comunicado em que avançam a organização de uma concentração e conferencia de imprensa para o próximo dia 20 de outubro pelas 15 horas, diante da residência oficial primeiro-ministro.

“Os motivos desta concentração, prendem-se com a reivindicação dos lesados das sucursais externas do BES, pelo direito à restituição das suas poupanças, e pelo direito de igualdade de tratamento, perante outros grupos de lesados das sucursais nacionais BES, que já viram restituídas parcialmente as suas poupanças”.

Recorde-se que o parlamento aprovou em 2018 por unanimidade uma resolução para resolver estas reinvidicações, e o Governo de seguida pediu à Ordem Advogados um trabalho de análise e seleção de cada caso individual que foi terminado e entregue ao executivo em novembro do ano passado.

“Infelizmente, até agora o Governo tem-se recusado a reunir com as duas a ssociações para se criar um FRC- Fundo Recuperação Créditos igual aos dos lesados nacionais, apesar de ter pedido e recebido todos os dossiers técnico-juridicos para o efeito”.

“A situação dos lesados é crítica e de desespero em especial na Venezuela, face às crises politica-social-pandémica que já levaram a alguns actos desespero como suicídios”, concluiu o comunicado.

Recomendadas

5G: Propostas dos operadores somam 322 milhões de euros

O leilão principal arrancou em 14 de janeiro e se tivesse terminado esta segunda-feira o Estado teria arrecadado mais de 406 milhões de euros (valor que inclui a licitação dos novos entrantes de 84,3 milhões de euros), muito acima do montante indicativo de 237,9 milhões de euros.

Aldi vai inaugurar primeira loja de proximidade em Lisboa

Com esta abertura, a Aldi prossegue o seu plano de expansão em Portugal, passando a contar com 93 supermercados no nosso país, além de criar cerca de 20 novos postos de trabalho.

Mota-Engil ganha contrato de mineração no Mali no valor de cerca de 295 milhões de euros

O grupo liderado por António Mota e Gonçalo Moura Martins explica que os trabalhos decorrerão em três minas de ouro, devendo arrancar em agosto de 2021, com uma duração de 81 meses e a faturação e pagamentos indexados ao dólar norte-americano.
Comentários