“Levem lombo, cachaço e costeletas”. Mega churrasco na Universidade de Coimbra marcado para novembro

O evento foi criado na rede social Facebook e já conta com mais de duas mil pessoas ‘confirmadas’. No passado dia 17 de setembro o reitor da universidade, Amílcar Falcão, anunciou a proibição de carne de vaca nas cantinas no combate às “alterações climáticas”.

Está a ser preparado um mega churrasco na Universidade de Coimbra para o dia 25 de novembro como resposta à proibição do consumo de carne de vaca nas cantinas da instituição de ensino. A medida foi tomada pelo reitor da universidade, Amílcar Falcão, como forma de combater as “alterações climáticas”.

Este será o primeiro passo para, até 2030, tornar a UC “a primeira universidade portuguesa neutra em carbono”, disse o reitor na cerimónia de receção aos estudantes. “Vivemos um tempo de emergência climática e temos de colocar travão nesta catástrofe ambiental anunciada”, sublinhou, na sua intervenção, perante centenas de alunos.

O evento foi criado na rede social Facebook e já conta com mais de duas mil pessoas inscritas. Na página do evento pode ler-se que “o Sr. reitor da Universidade de Coimbra decidiu, com todos os tiques ditatoriais, proibir a carne de vaca nas cantinas de Universidade. Por ser uma afronta a um dos valores mais importantes da academia coimbrã, a liberdade, vamos fazer um mega churrasco em frente à reitoria. Levem lombo e vazia, alcatra e acém, cachaço e costeletas! O tempo das proibições arbitrárias já acabou, viva a liberdade!”.

Por ano, cerca de 20 toneladas de carne de vaca são consumidas nas 14 cantinas universitárias da UC. Entre as diversas medidas que estão a ser tomadas, Amílcar Falcão destacou também uma “política rigorosa contra o desperdício alimentar, promovendo a eficiência na utilização dos alimentos”, e a colocação de ecopontos e contentores para os vários tipos de resíduos nas residências universitárias.

Recomendadas

Greta: “Os jovens protestam há um ano, não podemos continuar. As pessoas no poder precisam de fazer alguma coisa”

A ativista ambiental admite que a sua mensagem não está a surtir efeito e exige aos líderes mundiais mais ações para combater as alterações climáticas.

Advogado: Amante de Rosa Grilo sai em liberdade por falta de provas

António Joaquim vai ficar sujeito ao termo de identidade e residência até ao fim do julgamento. A leitura do acórdão do julgamento do homicídio de Luís Grilo está marcada para 10 de janeiro.

Passes, energia renovável e eficiência. Os truques de Medina para combater as alterações climáticas

“Olhando para os dados, os últimos anos foram os mais quentes de que há registo”, afirmando que esta é uma das realidades mais visíveis no nosso país, que tem enfrentado secas extremas, incêndios e cheias.
Comentários