PremiumLíderes das maiores sociedades de advogados revelam previsões para reforma

Líderes das principais sociedades de advogados antecipam um aumento da atividade em áreas como reestruturações, insolvências, contencioso e M&A, entre outras, apesar da queda das receitas. E admitem fusões entre firmas.

As principais sociedades de advogados portuguesas mostram-se cautelosas face à evolução da economia nos próximos meses. A possibilidade de uma segunda vaga da pandemia e o fim das moratórias de crédito e do regime de lay-off constituem as principais incógnitas que vão ditar o ritmo da recuperação, segundo os líderes do setor ouvidos pelo Jornal Económico (ver Fórum nestas páginas). Mas uma coisa é certa: apesar de algum impacto nas receitas, a atual conjuntura deverá levar a um aumento do trabalho em áreas como as reestruturações de empresas, insolvências, fusões e aquisições (M&A), fiscal, contencioso e laboral, entre outras. Além de abrir a porta a movimentos de consolidação dentro do próprio setor da advocacia de negócios.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

A modernização “inevitável” de um setor tradicional como o da advocacia

Mesmo antes da aceleração que a pandemia promoveu, as sociedades de advogados de maior renome viviam já um processo de transição digital que facilitou a adaptação à advocacia remota.

O que dizem os advogados sobre a inovação na hora de servir o cliente

Líderes e responsáveis de inovação dos principais escritórios de advocacia em Portugal falam em compatibilidade entre deontologia e tecnologia, mas alertam para a necessidade de uma “sensabilidade acrescida” ou até de criação de comités para garantir o cumprimento dos deveres da profissão.

Premium‘Big Four’ afastadas da auditoria aos créditos a Luís Filipe Vieira

PwC estava a avaliar restruturação de créditos à Promovalor, mas como a firma audita contas do Benfica SAD, o Novo Banco terá de selecionar nova auditora.
Comentários