Lisboa e Porto são as cidades portuguesas mais atrativas para emigrantes comprarem casa

Por sua vez, os distritos que menos despertam interesse são a Ilha Terceira, com 0,2% das pesquisas, Bragança e Ilha de São Miguel com 0,6%, Guarda com 0,9%, Portalegre com 1%, Beja com 1,2%, Vila Real, Castelo Branco e Évora com 1,5%.

As cidades de Lisboa e Porto estão são as cidades portuguesas mais procuradas e atrativas para os emigrantes comprarem casa, revela um estudo do Idealista. O distrito de Lisboa concentra 23,6% das pesquisas dos portugueses emigrados no estrangeiro, enquanto o distrito do Porto soma 16,2% das pesquisas.

O estudo da plataforma indica ainda que Faro, Setúbal, Braga e Aveiro estão entre as cidades mais procuradas pelos portugueses a residir no estrangeiro mas que pretendem mudar-se para Portugal. Por sua vez, os distritos que menos despertam interesse são a Ilha Terceira, com 0,2% das pesquisas, Bragança e Ilha de São Miguel com 0,6%, Guarda com 0,9%, Portalegre com 1%, Beja com 1,2%, Vila Real, Castelo Branco e Évora com 1,5%.

Sabe-se que Lisboa, Porto e Cascais são as cidades mais pesquisadas por portugueses residentes em França, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Itália. “Vila Nova de Gaia aparece na segunda posição para pesquisas feitas desde França e quarta na Alemanha. O Seixal é a quarta cidade mais pesquisada pelos portugueses no Reino Unido e Oeiras a quarta mais procurada desde Espanha e sexta desde Itália”, adianta o estudo do Idealista.

Por sua vez, Braga surge na sexta posição das pesquisas com origem em França e Alemanha.

O Idealista aponta que os emigrantes procuram imóveis à venda nos 18 distritos, com 85% das pesquisas a nível nacional. No entanto, 27% das pesquisas destinou-se à procura de habitação para arrendar em Lisboa, e 17% para arrendar no Porto.

Recomendadas

Preço das casas na costa alentejana subiu mais de 11%

As casas no litoral de Beja, na costa alentejana, foram as que mais encareceram no período em análise, com os preços a dispararem 11,4% para 1.932 euros por m2.

Concurso para a concessão do santuário do Cabo Espichel lançado hoje

O santuário encontra-se hoje ao abandono, à exceção da igreja. Até agora foram adjudicados 18 imóveis no âmbito do programa Revive que representam 139 milhões de euros de investimento na recuperação de imóveis públicos e rendas anuais acima dos dois milhões de euros.

Preços das casas em Portugal cresceram mais 31% do que os rendimentos entre 2015 e 2020

Revela o JN que Portugal é o pior país neste indicador, entre 34 países da OCDE, consequência do “boom” turístico dos últimos anos que obrigou a classe média a afastar-se dos grandes centros urbanos.
Comentários