Livre anuncia apoio à candidatura presidencial de Ana Gomes

Apoio à antiga eurodeputada socialista foi garantido por quase 90% dos membros e apoiantes do partido que participaram na consulta. Grupo de contacto do Livre diz que Ana Gomes “tem mostrado que será uma Presidente livre, dialogante e firme”, contrapondo o mandato “complacente, passivo e conservador” de Marcelo Rebelo de Sousa.

Cristina Bernardo

O Livre anunciou nesta segunda-feira o apoio à candidatura presidencial de Ana Gomes, depois de uma consulta interna que demonstrou uma preferência esmagadora pela antiga eurodeputada socialista. Entre os membros e apoiantes do partido que participaram nessa consulta, 88,9% escolheram Ana Gomes, enquanto a atual eurodeputada do Bloco de Esquerda Marisa Matias só convenceu 9,9%, dividindo-se os restantes por outros candidatos. Antes disso, 91% dos membros e apoiantes do Livre tinham aprovado que o partido desse apoio a uma candidatura presidencial, na sequência de uma consulta idêntica à que ocorreu nas presidenciais de 2016, quando o independente Sampaio da Nóvoa foi o escolhido.

Para o grupo de contacto do Livre, “é urgente apoiar Ana Gomes, por ser uma candidata que entende a política como uma força pela construção do bem comum”, mas também porque a esquerda “não pode deixar de ter uma voz forte nestas eleições presidenciais, dado o impacto das candidaturas da extrema-direita e centro-direita”.

Segundo o partido fundado por Rui Tavares, que perdeu representação parlamentar após a retirada de confiança política na deputada Joacine Katar Moreira, que passou a deputada não inscrita, “Ana Gomes tem mostrado que será uma Presidente livre, dialogante e firme”, o que é um “posicionamento fundamental em vésperas de Portugal assumir a presidência do Conselho da União Europeia e de beneficiar de um Pacote de Recuperação Económica”. E também “decisiva para o necessário aumento de confiança nas instituições do país e da União Europeia”, empenhada nos “combates contra a corrupção e contra a evasão fiscal” e atenta à intervenção de Portugal no plano externo.

Criticando Marcelo Rebelo de Sousa por ter sido “complacente, passivo e conservador” no mandato presidencial, o grupo de contacto do Livre apela à mobilização em torno de uma campanha plural e aberta, assumindo “a sua responsabilidade perante a democracia com uma posição clara de apoio à candidata que melhor garante uma Presidência progressista, ecológica e humanista a Portugal”.

Com este apoio, Ana Gomes junta-se ao rol de candidatos presidenciais com apoio partidário, como André Ventura (Chega), Tiago Mayan Gonçalves (Iniciativa Liberal), Bruno Fialho (PDR), Vitorino Silva (RIR), Marisa Matias (Bloco de Esquerda) e João Ferreira (PCP). Marcelo Rebelo de Sousa ainda não anunciou a recandidatura, pelo que o PSD e CDS têm adiado a formalização de apoio, enquanto o PS reserva para o final de outubro a posição oficial. No entanto, os manifestos anticorpos que a antiga eurodeputada socialista tem no seio do seu partido e várias declarações de apoio mais ou menos claras ao atual Presidente da República tornam provável que o partido dê liberdade de voto aos seus militantes.

Relacionadas
Ana Gomes e RIcardo Araújo Pereira

Ana Gomes: “Afetos do professor Marcelo foram úteis para desanuviar do estilo múmia paralítica”

Candidata presidencial foi a primeira convidada de Ricardo Araújo Pereira no regresso do programa “Isto é Gozar com quem Trabalha”. Mais interessada em atacar “quem se aproveita dos clubes de futebol para lavar dinheiro” do que António Costa, Ana Gomes revelou que só deixa o espaço de comentário da SIC Notícias após formalizar a candidatura.

Sondagem. Ana Gomes supera André Ventura por mais de quatro pontos

Segundo a sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios, Marcelo Rebelo de Sousa lidera as intenções de voto, mas recuou sete pontos face à última sondagem para 60%. Segue-se Ana Gomes e depois André Ventura.
Tiago Mayan

Tiago Mayan considera “inaceitável” que Ana Gomes mantenha espaço de comentário na SIC Notícias

Candidato presidencial apoiado pela Iniciativa Liberal lançou também ataques a Marcelo Rebelo de Sousa, André Ventura, Marisa Matias e João Ferreira, defendendo que “a cada sinal de instrumentalização, a cada quebra da confiança investida pelos eleitores, a democracia enfraquece”.
Recomendadas

Deputada Cristina Rodrigues considera que OE2021 responde “na medida do possível” à crise da Covid-19

A ex-deputada do PAN defende que há ainda questões que podem ser melhoradas na proposta orçamental, mas destaca já alguns avanços do Executivo socialista, sobretudo no que toca à proteção dos animais.
joacine_katar_moreira_livre

OE2021 com viabilização garantida? Abstenção das deputadas não-inscritas resolve impasse

As duas abstenções das deputadas não-inscritas, Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues, dão ao Governo o resultado necessário para aprovar, matematicamente, o Orçamento do Estado na generalidade, com 108 a favor, 103 contra e 19 abstenções. OE2021 seguirá para debate na especialidade.
Cristina Rodrigues

OE2021: Deputada não inscrita Cristina Rodrigues abstém-se e garante viabilização na generalidade

O debate do Orçamento do Estado para 2021 está agendado para terça-feira e quarta-feira no parlamento, sendo votado, na generalidade, no último dia.
Comentários