Londres e Sydney a quatro horas de distância? Avião supersónico vai chegar em 2030

A Agência Espacial do Reino Unido juntamente com a sua congénere australiana vão trabalhar na construção de um ‘avião espacial supersónico’ que ligará os dois países naquela que já foi apelidada como a “primeira ponte espacial do mundo”.

A partir de 2030 uma viagem de avião entre Londres e Sydney poderá ser feita em apenas quatro horas através de um ‘avião espacial supersónico que se encontra em desenvolvimento no Reino Unido. O anúncio foi feito pela Agência Espacial do Reino Unido esta terça-feira na Conferência Espacial do Reino Unido 2019, revela a “CNN”.

A Agência Espacial do Reino Unido juntamente com a sua congénere australiana vão trabalhar na construção de um ‘avião espacial supersónico’ que ligará os dois países naquela que já foi apelidada como a “primeira ponte espacial do mundo”.

O motor Synergetic Air-Breathing Rocket Engine (SABRE), da Reaction Engines, com sede em Oxfordshire, é vista como a ‘joia da coroa’ desta nova empresa. “Este motor pode permitir-nos chegar à Austrália em menos de quatro horas”, afirmou Graham Turnock, chefe da Agência Espacial do Reino Unido.

O motor SABRE foi projetado para atingir velocidades acima de Mach 5 na atmosfera da Terra e, em seguida, poderá transformar-se num foguete que pode voar pelo espaço até Mach 25. Este aparelho “respira” o ar da atmosfera, permitindo uma maior eficiência de combustível e menos peso do que os motores de foguete existentes que precisam transportar o seu próprio suprimento de oxigénio.

O interesse nesta tecnologia da Reaction Engines já levou a empresa a receber perto de 120 milhões de euros em financiamento nos últimos quatro anos, além de garantir investimentos de importantes players do setor. A empresa está a terminar a construção de uma instalação de teste em Buckinghamshire, no Reino Unido, que será o local da primeira demonstração em solo do núcleo de respiração de ar do motor SABRE.

Recomendadas

Argentina prolonga até fim de agosto negociações com os credores

O governo argentino vai apresentar uma nova proposta aos credores para conseguir um acordo de reestruturação de 66 mil milhões de dólares de dívida.

Funchal apresenta “argumentos fortes” a Boris Johnson

Presidente da Câmara escreveu a PM britânico a sublinhar que a Madeira tomou “todas as medidas necessárias” para garantir aos turistas “férias seguras”, enquanto desfrutam de “clima temperado”.

Premium“Presidente sérvio deve ir quanto antes a Bruxelas”

Aumento do poder do Partido Progressista traz de volta o temor da escalada de violência, que nos Balcãs precisa de quase nada para acontecer.
Comentários