Lucro da Toyota sobe 465% entre abril e junho para quase 7 mil milhões de euros

A multinacional também alcançou entre abril e junho, isto é, no primeiro trimestre do ano fiscal no Japão, um lucro operacional bruto (Ebitda) de 9.711 milhões de euros, mais 963,62% em termos homólogos.

O fabricante de veículos Toyota Motor revelou hoje que contabilizou um lucro de 897.800 milhões de ienes (6.935 milhões de euros) de abril a junho, mais 465% que há um ano, quando a pandemia afetou as suas vendas.

A multinacional também alcançou entre abril e junho, isto é, no primeiro trimestre do ano fiscal no Japão, um lucro operacional bruto (Ebitda) de 9.711 milhões de euros, mais 963,62% em termos homólogos.

A Toyota conseguiu aumentar o lucro operacional em mais de 7.000% para 7.704 milhões de euros, tendo registado uma faturação de 61.298 milhões de euros, superior em 72,48% face a igual período do exercício anterior.

Além do enorme efeito de base resultante devido dos impactos negativos que a empresa teve no primeiro semestre do ano passado devido à pandemia, a Toyota revela em comunicado que os números agora divulgados são o resultado do trabalho realizado com os seus fornecedores e concessionários.

De acordo com a multinacional, isso permitiu garantir a “estabilidade nas vendas e no abastecimento, apesar da escassez de semicondutores e da disseminação da Covid-19”.

A empresa não alterou a sua previsão de resultados para o exercício em curso, que termina a 31 de março de 2022, devido “às incertezas que possam surgir durante e após o segundo trimestre (julho a setembro)”, e que se prendem, nomeadamente, com a pandemia e a atual escassez global de circuitos eletrónicos integrados.

Assim, prevê um lucro de cerca de 17.762 milhões de euros no final deste exercício, o representa um aumento de 2,44% em relação ao obtido no ano fiscal anterior.

Quanto ao lucro operacional, espera um crescimento 13,75% para 19.306 milhões de euros e aponta para que a receita resultante das vendas aumente em 10,23% para 231.666 milhões de euros.

Recomendadas

EDP Renováveis fecha contrato de aquisição de energia de 15 anos para um projeto eólico no Canadá

A EDP Renováveis fechou um contrato com a TransCanada Energy para a venda da energia verde do seu parque eólico de Shap Hills, no Canadá.

Aon e Firma estabelecem parceria para soluções globais de financiamento das empresas

Bernardo Theotónio-Pereira explica a parceria com “as necessidades actuais das empresas” que “passam, na sua maioria, por soluções de tesouraria e de funding céleres e independentes da burocracia e lentidão da banca nacional e/ou de outros players ou fundos ‘abutres’ que se instalaram em Portugal ”.

Quem é a Evergrande e porque está a assustar os mercados mundiais?

A iminência de incumprimento por parte do gigante chinês do imobiliário fez tremer os mercados e há já quem tema um impacto sistémico de elevadas proporções. O Jornal Económico falou com analistas do mercado e com o CEO da Vanguard Properties, que deram a sua visão sobre o que se passou com a Evergrande e que impacto pode ter no mercado.
Comentários