Lucros da NOS disparam 111% no primeiro semestre

A companhia investiu mais 16% este ano, num total de 200 milhões de euros.

Presidente executivo da NOS, Miguel Almeida

A NOS registou lucros de 43,4 milhões de euros no segundo trimestre de 2021, o que corresponde a uma descida de 4,4%, face aos 45,3 milhões verificados no mesmo período do ano anterior, de acordo com os dados da operadora comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta quarta-feira, 21 de julho.

Por sua vez, o resultado líquido da operadora observou uma subida de 111% no primeiro semestre para 74 milhões de euros, face aos 35 milhões de euros apresentados no mesmo período do ano passado.

No período em análise, a operadora viu o número de serviços crescer 2,6%, ultrapassando pela primeira vez, os 10 milhões. Em termos de segmentos, o número de serviços móveis aumentou 4,4% para 5,085 milhões, enquanto o número de subscritores de televisão cresceu 0,3% para 1,639 milhões.

O número de serviços de internet e de telefone fixo situou-se nos 1,467 milhões e 1,770 milhões, respetivamente, enquanto o número de clientes convergentes verificou um aumento de 3,8%, estando próximo de atingir um milhão.

Ao nível empresarial, a NOS conta no fim dos primeiros seis meses com 1,540 milhões de serviços empresariais, mais 37 mil serviços do que no final do primeiro semestre de 2020.

Apesar da pandemia, as receitas de roaming registaram um crescimento de 3% face ao período homólogo, atingindo 672,4 milhões de euros, enquanto as receitas consolidadas apresentaram um aumento de 1,8% para 678,5 milhões de euros.

Por sua vez, o EBITDA consolidado situou-se nos 306,6 milhões de euros face aos 310,6 milhões verificados no mesmo período de 2020. Por fim, a dívida financeira líquida registou uma descida de 11,3% face a junho do ano passado, estando agora nos 895 milhões de euros.

Durante os primeiros seis meses do ano, a NOS aumento os seus investimentos em 16,5% para 200,1 milhões de euros, excluindo contratos de leasing, em particular na área de comunicações.

Recomendadas

Groundforce lamenta que insolvência impeça “caminho de regresso à normalidade”

Para a empresa, que refere ter tido conhecimento da decisão judicial esta quarta-feira, a continuação da operação “era a opção que melhor defendia o interesse de todas as partes interessadas”.

EDP Renováveis vende seis parques eólicos na Polónia por 303 milhões de euros

A energética diz que o negócio “rá contribuir com aproximadamente 303 milhões de euros de encaixe de rotação de ativos e está inserida no contexto do programa de rotação de ativos de 8 mil milhões de euros anunciado no Capital Markets Day”.

Sindicatos reúnem-se com Governo para debater insolvência da Groundforce

A reunião, por videoconferência, deverá contar com a maioria das estruturas sindicais representadas na empresa, conta com a presença do secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Hugo Mendes, e tem como objetivo informar os trabalhadores sobre o processo. 
Comentários