Lucros da Toyota disparam 7,2%, para mais de 5.000 milhões de euros

Os dados trimestrais apresentados esta sexta-feira pela gigante japonesa revelam que este é o valor mais alto de sempre registado neste período de tempo, tendo sido impulsionado pela subida das vendas a nível global e pela redução de custos.

A fabricante automóvel Toyota Motor registou um lucro líquido de 657,306 milhões de ienes (cerca de 5.077 milhões de euros) no primeiro trimestre deste ano fiscal, o que corresponde a um aumento de 7,2%. Os dados trimestrais apresentados esta sexta-feira pela gigante japonesa revelam que este é o valor mais alto de sempre registado neste período de tempo, tendo sido impulsionado pela subida das vendas a nível global e pela redução de custos.

Entre abril e junho, o volume de vendas da empresa foi de 7,362 biliões de ienes (56.851 milhões de euros), o que corresponde a um aumento de 4,5% em comparação com igual período do ano passado. À exceção do mercado doméstico japonês, as vendas da gigante automóvel cresceram na Europa, Ásia e nos Estados Unidos, o seu principal mercado.

As vendas globais de veículos aumentaram 0,95% para 2,215 biliões de unidades, ficando ainda assim atrás de empresas como a Volkswagen e a aliança Renault-Nissan-Mitsubishi no período acumulado de janeiro a junho. Já o lucro operacional da Toyota Motor subiu no semestre 18,9% para 682.687 milhões de ienes (4.537 milhões de euros).

Apesar de ter reportado lucros trimestrais positivos, as ações da empresa tropeçam 0,71% para 7.228 euros na Bolsa de Valores de Tóquio.

Recomendadas

Movimento nos aeroportos portugueses sobe 2,3% até setembro para 15,2 milhões de passageiros

O número de passageiros que passou pelos aeroportos portugueses aumentou, em termos homólogos, em 2,3%, para 15,2 milhões até setembro, adiantou em comunicado a Vinci, que detém a ANA – Aeroportos de Portugal.

Matos Fernandes descarta medidas adicionais para atenuar subida dos preços da energia

O Ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, disse esta sexta-feira que “não vai haver necessidade” de falar de medidas adicionais para atenuar a subida dos preços da eletricidade “nos meses mais próximos”.

Galp: “Evento na Unidade de Destilação Atmosférica de Sines” não teve impacto no abastecimento do mercado português

“Seguindo os protocolos de segurança, a Empresa parou a operação da DAT que, após o seu arranque, é esperado que opere com taxas de utilização mais reduzidas durante algumas semanas”, anuncia a Galp.
Comentários