Lula da Silva: “Bolsonaro não está a governar, mas a dar autorização para vender o Brasil”

Em entrevista à RTP a partir da prisão, o antigo presidente brasileiro deixa duras críticas à governação do atual chefe de Estado do Brasil.

Ueslei Marcelino/Reuters

Lula da Silva critica duramente a governação do presidente brasileiro. O antigo presidente acusa Jair Bolsonaro de estar mais interessado em privatizar os ativos estatais do Brasil do que governar o país.

“Não acho que ele esteja governando o Brasil, ele está na verdade dando autorização para vender esse país”, criticou Lula da Silva, a cumprir pena de prisão por corrupção, em entrevista à RTP, que vai ser transmitida na noite desta terça-feira, 15 de outubro.

“Ele não gosta de liberdade, por isso tem de ter milícia, ele não gosta de emprego, por isso pede para o seu ministro da Fazenda vender tudo, estão querendo privatizar tudo o que possa imaginar nesse país”, acusou.

O antigo líder do Partido dos Trabalhadores (PT) considera mesmo que Jair Bolsonaro está a destruir a democracia brasileira. “Você não tem um cidadão que tenha sido eleito para governar o país pensando na melhoria do Brasil, na melhoria do povo brasileiro. Você tem um cidadão que é um demolidor, um destruidor da democracia desse país”.

Lula da Silva foi presidente do Brasil entre 2003 e o final de 2010. Em 2017, foi condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. O juíz federal Sérgio Moro considerou que o ex-presidente promoveu interesses da construtora OAS junta da petrolífera estatal Petrobras. Lula da Silva está a cumprir pena na prisão de Curitiba, no estado do Paraná.

Recomendadas

Muitas vezes ou sempre “justificáveis”. Italianos estão mais à vontade com atos racistas

Com base em 1.500 inquiridos, um estudo concluiu que existe “um relaxamento nas atitudes em relação ao racismo”. Resultados da pesquisa chegam depois de uma série de incidentes racistas e anti-semitas contra a senadora da Republica da Itália.

‘Impeachment’. Trump promete divulgar transcrição de outra chamada com presidente ucraniano

Trump avançou que divulgaria a transcrição esta terça-feira, descrevendo-a para os repórteres como “muito importante”. Ao que tudo indica, esta segunda chamada terá ocorrido depois da primeira que desencadeou o processo de destituição contra o presidente norte-americano.

Pneumonia: Várias regiões portuguesas com as taxas mais elevadas de mortalidade na Europa

Portugal encontra-se em destaque no mapa elaborado pelo Eurostat, com várias regiões portuguesas a registarem as taxas mais elevadas de mortalidade associadas à pneumonia em 2016.
Comentários