Eleições no Brasil: Lula mantém vantagem sobre Bolsonaro. Sondagens dão 56% até numa segunda volta

O inquérito conduzido pelo Datafolha revela que além de Lula ganhar nas simulações de disputa numa primeira volta, garante também uma vitória em todos os cenários num segundo turno. Já Bolsonaro perde em todos cenários pesquisados. 

Enquanto Cristiano Zanin Martins defende o seu cliente, Lula da Silva num encontro com apoiantes do Sindicato dos Metalúrgicos ABC em São Paulo. Foto: Fernando Bizerra Jr/EPA

Caso as eleições à presidência do Brasil fossem hoje, a vitória seria entregue a Luiz Inácio Lula da Silva que, de acordo com uma sondagem conduzida pela Datafolha, e divulgado pelo a “Folha de S. Paulo”, mantém uma liderança de 56% contra 31% de Jair Bolsonaro numa segunda volta.

“Neste momento, o petista [Partido dos Trabalhadores] segue sem concorrência nas simulações de segundo turno. Bate Bolsonaro por 56% a 31%, ante 58% a 31% anotados em julho”, informam os resultados recolhidos entre 13 a 15 de setembro, na quais foram ouvidos 3.667 eleitores de forma presencial em 190 cidades.

O inquérito da Datafolha também revela que Lula ganha nas simulações de disputa com os outros candidatos no segundo turno. Já Bolsonaro perde em todos cenários pesquisados.

Num primeiro cenário em que além de Lula, Bolsonaro, Ciro Gomes (PDT), João Doria (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM) disputam pela presidência do país, a vitória continua a ser do candidato do PT que conquistaria 44%, enquanto que o atual presidente surgia em segundo lugar com 26% das intenções de voto.

Num segundo cenário, em que Eduardo Leite (PSDB) entra na corrida invés de João Doria, Lula conquista 42% das inteções de voto enquanto que Bolsonaro angaria 25% — valor próximo de uma terceira hipótese que já não considera Luiz Henrique Mandetta (DEM) e que atira 44% das inteções de voto para Lula e 26% para Bolsonaro.

E mesmo que José Luiz Datena (PSL), Simone Tebet (MDB), Aldo Rebelo (sem partido), Rodrigo Pacheco (DEM) e Alessandro Vieira (Cidadania) entrem na corrida ao lugar no Palácio do Planalto, Lula da Silva mantém a liderança com 42% das inteções de voto face aos 24% recolhidos pela atual presidência.

Caso a disputa levasse a uma segunda volta, a sondagem do Datafolha revela que a vitória seria de maioria absoluta para Lula da Silva que conseguiria garantir 56% dos votos conta os 31% atribuídos a Bolsonaro — uma vitória que também se verifica caso a segunda volta fosse disputada contra Doria (22%).

Mesmo que Lula não garantisse um lugar numa segunda volta, Bolsonaro continuaria a sair derrotado. Os resultados das sondagens indicam que uma disputa entre o atual presidente e Ciro Gomes resultaria numa vitória de 52% para o candidato do PDT contra 33% para Bolsonaro.

Estes resultados vão em linha com o índice de rejeição também recolhidos pelo Datafolha: neste momento, Jair Bolsonaro mantém os 59% de desaprovação verificados na sondagem realizada anteriormente, sendo fortemente rejeitado por estudantes (73%) e evangélicos (44%).

Entre aqueles que votaram em Bolsonaro em 2018, 26% afirma não voltar a selecionaro seu nome no boletim de voto para uma disputa presidencial em 2022, já 68% frisam que em momento algum votariam em Lula da Silva.

Recomendadas

Goldman Sachs quer aumentar diversidade étnica e de género nas cotadas do S&P 500 e do FTSE 100

A Goldman Sachs Asset Management diz que quer estar na vanguarda para impulsionar uma maior diversidade e inclusão nos conselhos de administração em todo o mundo.

Turquia pede ao Conselho da Europa que evite sanções contra o país

A Turquia apelou ao Conselho da Europa para evitar qualquer penalização contra o país, numa altura em que se mantém a ameaça de uma rara sanção pela detenção sem julgamento do mecenas Osman Kavala.

Alemanha em mudança com foco no novo ministro das Finanças. Ouça o podcast “A Arte da Guerra” com Francisco Seixas da Costa

Do novo Governo da Alemanha ao divórcio entre eleitores e poder político na Argélia passando pelos conflitos entre Reino Unido e França com o Brexit pelo meio. Tensão é a palavra que marca esta edição do podcast do JE, que conta com a análise do embaixador Francisco Seixas da Costa.
Comentários