Macaquinhos com estilo até aos 5 anos

Com a chegada do tempo quente, nasce uma nova marca portuguesa, destinada aos mais pequenos, que promete propostas diferentes.

Com a chegada do tempo quente, nasce uma nova marca portuguesa, destinada aos mais pequenos, que promete propostas diferentes, tão exclusivas quanto pode ser uma produção artesanal, mas com um público-alvo muito distinto: meninos e meninas até aos cinco anos de idade.

A nova marca chama-se Macaquinhos e a primeira coleção com esta chancela intitula-se “A Descoberta”.

O desenho é português. São padrões divertidos, com motivos e cores que evocam a estação – o mar, a praia, os azuis, amarelos e encarnados –, mas também animais, que se alinham até formar um esquema único, com sentido, em que o particular se destaca no conjunto.

Todas as peças são feitas à mão, em Portugal, por costureiras profissionais, conferindo-lhe um traço de único. Os tecidos utilizados são integralmente de algodão.

 

Recomendadas

PremiumImpressoras 3D transformam indústrias à boleia da era digital

Na quarta revolução industrial, as impressoras 3D já desempenham um papel relevante na produção de quase tudo, incluindo órgãos humanos. De acordo com um estudo do banco Internationale Nederlanden Groep, estima-se que, nas próximas duas décadas, um em cada dois produtos industriais será impresso a três dimensões.

PremiumAgnès Buzyn: De ministra da Saúde a candidata à Câmara de Paris

O seu percurso tem sido marcado pela medicina, mas agora Agnès Buzyn decidiu abraçar um novo desafio e substituir Benjamin Griveaux, antigo cadidato do partido de Emmanuel Macron, A República em Marcha, à câmara da capital francesa.

PremiumRacismo no desporto: O planeta dos macacos

Esporádicos, isolados, pontuais. É assim que normalmente são descritos os episódios de racismo no desporto, que existem há décadas, são uma constante em alguns recintos e nada indica que venham a desaparecer. Pedro Almeida, investigador e autor da tese ‘Futebol, raça e Nação’ prefere a realidade aos eufemismos: existe racismo no futebol porque a sociedade portuguesa é, no seu coletivo, profundamente racista. Outra coisa seria difícil de suceder num país que tem o mais longo histórico de colonialismo do mundo.
Comentários