“Made of Portugal” pretende incentivar o trabalho e investimento no país

Campanha lançada pela consultora imobiliária JLL pretende mostrar que Portugal é o país certo para quem ambiciona o luxo de a poucos minutos de distância ter à sua disposição as condições que lhe permitam viver o melhor dos dois mundos: o pessoal e o profissional.

A campanha “Made Of Portugal” quer promover o país como o destino único e ideal para quem queira trabalhar, investir ou viver. A iniciativa partiu da consultora imobiliária JLL e foi apresentada esta quinta-feira em Lisboa, com um estudo sobre os principais indicadores do mercado nacional.

Nos últimos 5 anos, o número de turistas que entraram no nosso país cresceu 44%, e em 2018 chegaram mais 24 mil residentes não habituais. O mercado imobiliário gera taxas de retorno de 7,8% a 18 anos e com menor volatilidade que outros investimentos, sendo que os Golden Visa representam 3,9 mil milhões de investimento entre 2012 e o primeiro semestre de 2018.

Para Fernando Ferreira, Head of Capital Markets JLL Portugal, refere que o país “tem-se afirmado como destino consolidado e muito procurado por investidores de todo o mundo. Uma conjuntura económica e política favorável, a segurança, os indicadores sólidos do mercado imobiliário, nomeadamente o crescimento gradual das rendas e dos preços de venda, a performance do mercado turístico e os níveis de rentabilidade superiores à maioria dos mercados congéneres, são alguns dos fatores chave para colocar Portugal no radar dos investidores”.

A consultora imobiliária pretende mostrar com esta campanha que Portugal é o país certo para quem ambiciona o luxo de a poucos minutos de distância ter à sua disposição as condições que lhe permitam viver o melhor dos dois mundos: o pessoal e o profissional.

“Diariamente, faz parte do nosso trabalho promover Portugal junto de investidores e profissionais de todo o mundo. E, hoje, isso já não é só mostrar os indicadores económicos e os racionais do negócio. Mais do que nunca, esta promoção tem de ser inspiracional e mostrar o que é a essência do país, o que nos distingue enquanto destino para viver, para trabalhar ou para investir”, afirma o diretor-geral da JLL, Pedro Lancastre.

Recomendadas

Por onde devemos começar no Investimento Imobiliário?

Por onde devemos começar no investimento imobiliário? João Raposo, administrador do Grupo Reorganiza, explica ao detalhe quais os passos que deve dar se está a equacionar este tipo de investimento.

Preços das casas subiram 4,9% na zona euro no terceiro trimestre

Em relação ao trimestre anterior, os maiores aumentos foram verificados na Hungria (5,2%,), Dinamarca (4,2%) e Letónia (3,7%), enquanto as descidas mais significativas foram observadas no Chipre (4,8%) , Roménia (2,6%), Itália (2,5%) e Croácia (0,6%).

Crise do turismo faz disparar arrendamento de casas em 67%

Por sua vez, o preço dos apartamentos para venda aumentaram em média 6% fixando-se nos 2.146 euros\m2. Com exceção de Viseu que caiu 4,62%, todos os distritos registaram uma subida dos preços no ano passado.
Comentários