Mapfre fora da corrida à Tranquilidade, Catalana Occidente é a candidata espanhola

Assim estão na corrida, a Ageas, a Allianz, a Generalli e a Catalana Occidente. O vencedor deverá ficar escolhido até ao fim do mês.

A Mapfre desistiu da Tranquilidade. O presidente da companhia António Huertas, disse aos jornais espanhóis que depois de estudar a informação financeiras disponibilizada  decidiu não avançar e retirar-se da corrida  por não concordar com o preço pedido.

O Cinco Días noticia que a Mapfre desistiu do projeto de crescer em Portugal através da compra da Tranquilidade, colocada à venda pelo fundo Apollo por cerca de 500 milhões de euros.

Huertas disse que depois de estudar a informação disponível no data room, a seguradora decidiu não apresentar uma oferta vinculativa, retirou-se da corrida devido ao preço elevado pelo qual a empresa portuguesa foi avaliada.

Na corrida estará agora a Catalana Occidente. Este é a seguradora espanhola na corrida, segundo fontes do mercado depois de ser conhecido que há quatro propostas vinculativas para a compra das companhias Tranquilidade e Açoreana, tal como revelou o Jornal Económico na semana passado. O Eco avançou com o nome da seguradora espanhola que desde a semana passada corre no mercado.

A confirmar-se que a Catalana Occidente está na corrida têm propostas vinculativas em análise, a Ageas, a Allianz, a Generali e a Catalana Occidente. Segundo fontes do mercado esta seguradora espanhola terá feito uma das propostas mais altas, em termos de preço.

A mesma fonte refere que a Allianz está em último lugar na hierarquia das propostas e por isso estará afastada da operação.

Não foi possível confirmar o nome dos interessados, junto da Tranquilidade, nem a valorização das propostas.

A norte-americana Apollo Global Management quer chegar a um acordo de venda até ao fim deste mês.

A seguradora Tranquilidade foi comprada pelo fundo Apollo ao Novo Banco em 2015, por cerca de 50 milhões e é o ativo mais valioso da Seguradoras Unidas.

Em 2015, o negócio e venda da seguradora foi fixado em torno de 215 milhões de euros, dos quais 50 milhões de euros em dinheiro e mais de 150 milhões para reforçar os capitais da instituição, segundo notícias da altura. Segundo fontes do setor, a Apollo avaliará agora a Tranquilidade entre 500 milhões e 600 milhões.

A seguradora que era do Grupo Espírito Santo tem 1,4 milhões de clientes (entre particulares e empresas) e trabalha com uma rede de distribuição de mais de 2.500 pontos de venda – 80 corretores, 2.100 agentes multimarca e 400 agentes exclusivos.

Ler mais
Relacionadas

PremiumFundo Apollo com quatro ofertas vinculativas para Tranquilidade e Açoreana

A operação de venda da Seguradoras Unidas está na reta da meta. A Ageas terá a melhor proposta, mas ainda não está escolhido o vencedor.
Recomendadas

BdP e CMVM já enviaram as respostas que a ASF precisa para avaliar idoneidade da administração da Mutualista

O Banco de Portugal enviou ontem por escrito a informação que a ASF diz ter pedido para avançar com a avaliação da idoneidade da administração de Tomás Correia. A CMVM também já respondeu ao regulador dos seguros.

Tranquilidade: “Apollo teve um papel fundamental na nossa recuperação”

“A Apollo teve um papel fundamental na nossa recuperação, aportando capital e know-how num momento crítico, reestruturando o balanço e desencadeando a integração e transformação fundamentais à nossa sustentabilidade”, escreve a Tranquilidade aos seus parceiros comerciais.

Parlamento aprova auditoria independente ao Novo Banco pós-resolução

O projeto de lei, apresentado pelo PSD, foi aprovado esta sexta-feira na Assembleia da República. Os deputados, à exceção do PS, concordam que é “indispensável” que seja avaliado o que se passou desde a resolução do Novo Banco e seja devidamente explicada a dimensão da injeção e ajuda pública envolvida.
Comentários