Maior feira de tecnologia do mundo começa hoje e, pela primeira, vez é 100% digital

CES 2021. Desta vez, empresas, empreendedores, clientes, líderes de opinião e jornalistas de mundo poderão conectar-se através de uma plataforma semelhante à que usaram os participantes na Web Summit. O evento decorre até dia 14 de janeiro.

A edição deste ano da CES (Consumer Electronics Show), considerada a maior feira de tecnologia do mundo, começa esta segunda-feira com um marco histórico: é a primeira totalmente digital. A organização, que está a cargo da Consumer Technology Association (CTA), garante que criará “uma experiência única e totalmente nova” e espera mais de 1.800 expositores e cerca de uma centena de conferências sobre inteligência artificial, 5G, saúde, cidades inteligentes, veículos autónomos, entre outras inovações.

O evento costuma realizar-se todos os anos em janeiro na cidade de Las Vegas, sendo responsável por tornar as ideias e os protótipos apresentados em palco em tendências e rotinas no mundo da eletrónica e tecnologia um pouco por todos os sectores, deste as telecomunicações e fotografia ao automóvel e agricultura.

Desta vez, marcas, clientes/utilizadores, líderes de opinião e jornalistas de mundo poderão conectar-se através de uma plataforma semelhante à que usaram os participantes na Web Summit, uma aplicação na qual podem agendar reuniões, definir uma agenda de sessões a assistir, marcar entrevistas e fazer online networking. Para tal, a Microsoft foi a escolhida como parceira tecnológica, ficando responsável pelas soluções cloud e suporte a esta primeira edição 100% digital.

“A tecnologia levar-nos-á para a frente e a CES 2021 ilustrará como a inovação abre caminho para um amanhã mais brilhante” – Gary Shapiro, presidente e CEO da CTA

“A CES 2021 permitirá que os participantes ouçam os inovadores de tecnologia, vejam as tecnologias de ponta e os lançamentos de produtos mais recentes e se envolvam com marcas globais e startups de todo o mundo. Ao longo de mais de 50 anos, a CES tem sido o palco global para inovação e a CES 2021 disponibilizará uma plataforma envolvente para pequenas e grandes empresas grandes lançarem produtos, construírem marcas e formarem parcerias”, explica a organização.

Se a pandemia foi o que impediu o encontro presencial dos milhares de visitantes da CES também é a pandemia a ditar parte das novidades que os analistas anteveem que serão reveladas: robôs sociais e de cuidados domésticos – ou seja, máquinas cada vez mais sofisticados que lhe fazem o jantar e limpam a casa -, fitness weareables e gadgets de saúde. Em termos de marcas, a LG apresentará televisores OLED e miniLED e prevê-se que os fabricantes de computadores Asus, Dell e Lenovo divulguem novos laptops finos e com processadores Intel e portáteis par jogos com processadores AMD Ryzen.

Entre a lista de empresas presentes no evento estão também a Deloitte, Accenture, AT&T, Hisense, Lenovo, LG Electronics, Panasonic, Philips, Samsung Electronics, Sony, TCL, Voxx, BioIntelliSense, Bose, Caterpillar, Indy Autonomous Challenge, SAIC Motor, BMW, Volvo Penta, Bridgestone, John Deere, Kohler, L’Oréal, Moen, OMRON Healthcare, Procter & Gamble, Audi, Canon, Bosch, Condé Nast, Computermind, Continental, FCA, Fraunhofer, Guangzhou Chicken Run Network Technology, HP, Lexon, Mercedes-Benz, NetApp ou Nikon.

O programa da CES 2021 está dividido da seguinte forma:

  • 11 de janeiro – Media Day: acesso exclusivo apenas para os meios de comunicação às conferências de imprensa
  • 12 a 13 de janeiro: Showcase dos expositores e programa de conferências
  • 14 de janeiro: Programa de parceiros CES
Ler mais
Recomendadas

Bruxelas atrai 300 milhões de euros de investimento para impulsionar inovação no setor espacial

O fundo é um dos primeiros fundos de transferência de tecnologia apenas centrado nas tecnologias espaciais na Europa e o primeiro em Itália.

Programa ‘Mais Ajuda’ vai dar mais 333 mil euros à inovação social e apoio a idosos

É a segunda edição do programa. As candidaturas já abriram e decorrem até 28 de fevereiro.

Portugal Ventures investiu 17,7 milhões de euros em ano de pandemia

Desde 2012, a Portugal Ventures já investiu 146 milhões de euros em 130 novas empresas.
Comentários