Maior fintech do mundo cria conferência internacional e espera receber até 30 mil pessoas

A Ant Financial, operadora da Alipay, está a organizar a “Inclusion Fintech Conference”, que se vai realizar em Xangai entre os dias 23 e 25 de abril de 2020. Unicórnio chinês admite expandir evento para a Europa.

O maior unicórnio do mundo quer reunir a comunidade financeira e tecnológica global na China. A Ant Financial, operadora da empresa de pagamentos Alipay, anunciou esta quarta-feira o lançamento da “Inclusion Fintech Conference”, um evento que visa debater como é que a digitalização pode contribuir para uma sociedade mais inclusiva, amiga do ambiente e sustentável.

As empresas afiliadas do grupo Alibaba escolheram um dos maiores centros financeiros e tecnológicos da China, a cidade de Xangai, para promover o encontro, que deverá receber entre 20 mil a 30 mil participantes nos próximos dias 23, 24 e 25 de abril.

Empreendedores, economistas e dirigentes de instituições financeiras e tecnológicas irão discutir formas de tornar “o financiamento mais inclusivo, o comércio mais diversificado e a vida urbana mais eficiente”, segundo a informação enviada à redação do Jornal Económico pela maior fintech do mundo – avaliada em cerca de 150 mil milhões de dólares (aproximadamente 135 mil milhões de euros).

A “Inclusion Fintech Conference” realizar-se-á no distrito de Bund (o local concreto não foi revelado) e terá uma área de exposições, tal como na Web Summit, por exemplo, e mais de uma centena de fóruns e palestras. Xangai será um teste, mas a empresa admite, mais tarde, expandir o encontro para a Europa e para o Sudeste Asiático.

“Esperamos criar ligações que incentivem uma discussão robusta sobre como as inovações tecnológicas, como a blockchain, a Internet das Coisas [IoT] e a inteligência artificial podem impulsionar o desenvolvimento sustentável nas finanças, comércio e ambiente. Isto deve promover uma maior colaboração entre a economia global”, explicou Douglas Feagin, vice-presidente de Negócios Globais da Ant Financial.

MoneyConf: Conferência irmã da Web Summit muda-se para Lisboa

Os portugueses que vão a Paris a um dos maiores fóruns sobre fintech

Ler mais
Relacionadas

PremiumFintech House: Palácio das necessidades da banca 4.0

Lisboa está prestes a entrar no mapa da inovação financeira. O renovado Palácio das Varandas, em pleno coração da capital, vai abrir portas a mais de 30 startups – e não só. Empreendedores, investidores, incumbentes e advogados preparam-se para transformar o edifício do século XIX num “caldeirão digital” e fazer parcerias tecnológicas entre ‘roomies’.

PremiumDisrupção: o trio de fintech que já atraiu 500 mil portugueses

Revolut, N26 e Monese vêem espaço para crescer em Portugal. Ao JE, dizem que novos serviços e custos reduzidos são chave para atrair ‘millennials’.

PremiumAs fintechs vão começar a dar crédito em Portugal?

Depois dos depósitos e pagamentos, as fintech preparam-se para fazer concorrência à banca em mais uma área, a do crédito
Recomendadas

Novo Banco assume-se como ‘ATM Junky’. ‘Mobile’ já é o maior ponto de contacto com os clientes

Segundo os dados apresentados por João Dias, chief digital officer do Novo Banco, até junho de 2019, 42% das interações entre os clientes particulares e o Novo Banco foram realizados através do mobile, contra 39% dos pontos de contacto realizados através do ATM, numa altura em que o Novo Banco ainda se assume como “um ATM junky”.

British Airways anuncia suspensão de todos os voos para a China

As companhias aéreas Lion Air, Cathay Pacific, Asiana, Jeju Air, Jin Air e Air Seoul também já anunciaram suspensão ou cancelamento de voos para território chinês por causa do coronavírus, que já matou 132 pessoas.

Santander lucra 6,5 mil milhões em 2019, menos 17% que em 2018

O banco espanhol apresentou resultados a caírem por causa dos custos extraordinários com a operação que tem no Reino Unido. Mas em Espanha os lucros subiram. O Santander Totta, em Portugal, contribuiu com 525 milhões de euros para o resultado líquido.
Comentários