Maior plataforma de logística terá investimento de 150 milhões

O investimento é feito pela maior imobiliária ibérica, que já está presente no mercado em Espanha, explorando seis hubs, entre os quais Madrid e a zona de atividades logísticas do Porto de Barcelona.

A Merlin Properties inaugurou a primeira fase da Plataforma Logística de Lisboa Norte, localizada em Castanheira do Ribatejo, no concelho de Vila Franca de Xira, abrindo ao mercado uma nave de última geração, que já está operacional. O Merlin Lisboa Park é o primeiro projeto da imobiliária espanhola no sector da logística em Portugal, prevê o investimento de 150 milhões de euros e, quando estiver concluído, será o maior parque logístico português, com uma Área Bruta Locável (ABL) edificável total de 224.864 metros quadrados.

A imobiliária espanhola dispõe de um total de 12 mil milhões de euros de ativos sob gestão, que geram um rendimento anual de cerca de 500 milhões de euros. Em Portugal, a carteira de ativos ultrapassa mil milhões de euros e, com o Merlin Lisboa Park, pretende cumprir o objetivo de “posicionar-se e consolidar-se como a referência logística em Portugal e assim reforçar a sua posição de liderança na Península Ibérica”.

O Merlin Lisboa Park localizado na principal área logística de Lisboa, em Castanheira do Ribatejo (eixo Alverca-Azambuja), e tem ligações diretas às autoestradas A1, A10 e A9. Está também localizado a 30 quilómetros do centro da capital portuguesa e dispõe de uma estação ferroviária para passageiros e mercadorias à entrada do parque, com uma ligação direta a Lisboa (a estação do Oriente fica a 20 minutos).

Incluirá também o futuro centro logístico do grupo de retalho Jerónimo Martins, cujo desenvolvimento está previsto arrancar em breve.

A Plataforma Logística de Lisboa Norte foi inicialmente anunciada pelo governo português em 2006, como parte de uma rede de 12 plataformas logísticas. Foi feita a infraestruturação e construídos os acessos viários, mas só agora se começa a cumprir o projeto, pela iniciativa da Merlin Properties, que a adquiriu à Saba Parques Logísticos Portugal, antiga Abertis Logística Portugal, em 2016.

No quadro da imobiliária espanhola, a plataforma faz parte do Plan Best III, um programa com o qual a empresa previa desenvolver 500 mil metros quadrados oferta logística ao seu portfolio, que imediatamente antes da pandemia ascendia a três milhões de metros quadrados, incluindo a Zona de Atividades Logísticas do Porto de Barcelona.

A imobiliária já está presente no mercado logístico da Península Ibérica, em Madrid, Barcelona, Valência, Sevilha, Saragoça ou Vitória-Bilbau.

 

Primeira nave operacional
A empresa refere que esta primeira nave do projeto tem 45.171 metros quadrados de superfície bruta locável, dividida em seis módulos, e um pé direito com 14,7 metros, equivalente a um edifício de cinco andares. Conta, também, com vias de grandes dimensões, um grande número de docas (uma por cada 500 metros quadrados) e a possibilidade de operar pela parte traseira com carrinhas, amplas áreas de manobra e um grande número de lugares de estacionamento, para ligeiros e pesados. A estrutura e o recinto são construídos em betão armado, com um piso apto para cargas de 5.000 quilos por metro quadrado sem risco de deformação. É eficiente do ponto de vista energético, dispõem de iluminação LED e terá, em breve, uma instalação fotovoltaica de autoconsumo.

A empresa garante que “o parque tem flexibilidade para se adaptar às necessidades dos operadores e do mercado, com uma grande capacidade de desenvolvimento para executar projetos chave na mão ou outros projetos de investimento”.

A Merlin Properties tem sete anos de atividade, está cotada na bolsa de valores espanhola, onde integra o principal índice bolsista, o IBEX-35, e também na Euronext Lisboa, em regime de dual listing. Afirma-se como a maior sociedade imobiliária da Península Ibérica, com uma atividade focada na aquisição e gestão de ativos imobiliários comerciais, como escritórios, centros comerciais e plataformas logísticas. Tem uma capitalização bolsista da ordem dos 4,1 mil milhões de euros.

Recomendadas

Banco digital francês Nickel alia-se à CCP para ter “balcões” nas lojas de rua

“Nesta área, em que é preciso o consumidor ter confiança no interlocutor para pôr e tirar de lá dinheiro, o perfil deste comércio pode impulsionar este projeto e aproveitar o potencial para criar oportunidades para os pontos de venda”, diz João Vieira Lopes ao JE.

Banco do Brasil com aumento de 52% nos lucros no primeiro semestre

O Banco do Brasil anunciou na quarta-feira um lucro líquido de 9,75 mil milhões de reais (1,58 mil milhões de euros) no primeiro semestre do ano, um aumento de 52% em comparação com o mesmo período em 2020.

Groundforce lamenta que insolvência impeça “caminho de regresso à normalidade”

Para a empresa, que refere ter tido conhecimento da decisão judicial esta quarta-feira, a continuação da operação “era a opção que melhor defendia o interesse de todas as partes interessadas”.
Comentários