Maior projeto de ‘crowdfunding’ energético no país capta 230 investidores

A plataforma de financiamento colaborativo GoParity fechou o financiamento de 275 mil euros, que será usado pela Cerâmica de Pegões para instalar painéis solares e aumentar a eficiência energética.

O maior projeto de financiamento colaborativo do setor energético realizado em Portugal fechou com a captação de 275 mil euros junto de 230 investidores. Levado a cabo pela plataforma de investimentos sustentáveis GoParity, o financiamento em crowdfunding servirá para a sustentabilidade energética da empresa Cerâmica de Pegões.

“Foi um desafio e vê-lo financiado mostra-nos mais uma vez que a eficiência energética é um caminho a percorrer no futuro e que as pessoas estão disponíveis e interessadas em fazer parte dele”, explicou Nuno Brito Jorge, co-fundador da GoParity e responsável pelo projeto, em declarações enviadas ao Jornal Económico. “Esperamos e ambicionamos ver mais empresas, seja qual for a sua dimensão e história, a aderirem a este tipo de projetos”.

Este foi o primeiro projeto de colaboração entre uma plataforma de financiamento colaborativo, a GoParity, e uma multinacional financeira alemã Grenke, que co-financiou o projeto com 100 mil euros e contribuiu para a aceleração da sua implementação.

Com este projeto, a Cerâmica de Pegões irá produzir cerca de 410 MWh (equivalente ao consumo anual de 100 famílias portuguesas) através da instalação de um sistema solar fotovoltaico de 250 kW para consumo próprio. A empresa estima uma redução de 180 toneladas de CO2 pela cerâmica.

Com mais de 60 anos de atividade, a Cerâmica de Pegões tem vindo a apostar na eficiência energética, nomeadamente através da instalação de uma caldeira de biomassa, há 12 anos, que ajudou a reduzir os custos, tornando-a mais competitiva e menos dependente dos preços do petróleo. Com a instalação do sistema solar fotovoltaico, a Cerâmica de Pegões espera conseguir aumentar a competitividade e independência das variações de preços da eletricidade.

Relacionadas

GoParity lança criptomoeda em Portugal que recompensa produção de energia solar

Produtores de energia solar podem receber as novas criptomoedas SolarCoin e trocá-las por bitcoins ou euros. O projeto é da fundação internacional com o mesmo nome da criptomoeda e chegou agora a Portugal pela mão da GoParity.

Investir a partir de 50 euros? Estas são as melhores opções

As plataformas de ‘crowdfunding’ são ferramentas de investimento disponíveis para quem não tem muito capital para desembolsar. O Economize apresenta-lhe quatro opções.

Eficiência energética: GoParity captou um milhão de euros para projetos em Portugal

Esta plataforma de investimentos sustentáveis em Portugal conseguiu esta verba ao abrigo do programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia.
Recomendadas

Inquérito/Energia: Vieira da Silva delegou em Zorrinho mas subscreve decisões

Vieira da Silva disse ainda “não ter dúvidas” de que “estrategicamente, teria sido vantajoso permanência do Estado na REN”, e adianta que “várias das medidas que o governo teve de tomar foram decididas num quadro de emergência.

Moody´s espera que o Novo Banco e outros bancos concluam algumas alienações de ativos imobiliários em 2019

Enquanto esta tendência é positiva e as perspectivas são favoráveis ​​para 2019, o rácio de NPL médio dos bancos em Portugal ainda é muito fraco em comparação com a média da União Europeia  que era de 3,4% (em setembro de 2018).

easyJet estabelece acordo de ‘code share’ com Cathay Pacific

Com o acordo hoje, dia 21 de janeiro, anunciado, a partir das próximas semanas, os clientes da easyJet poderão voar para Hong Kong a partir do aeroporto de Gatwick (Londres).
Comentários