Maior projeto de ‘crowdfunding’ energético no país capta 230 investidores

A plataforma de financiamento colaborativo GoParity fechou o financiamento de 275 mil euros, que será usado pela Cerâmica de Pegões para instalar painéis solares e aumentar a eficiência energética.

O maior projeto de financiamento colaborativo do setor energético realizado em Portugal fechou com a captação de 275 mil euros junto de 230 investidores. Levado a cabo pela plataforma de investimentos sustentáveis GoParity, o financiamento em crowdfunding servirá para a sustentabilidade energética da empresa Cerâmica de Pegões.

“Foi um desafio e vê-lo financiado mostra-nos mais uma vez que a eficiência energética é um caminho a percorrer no futuro e que as pessoas estão disponíveis e interessadas em fazer parte dele”, explicou Nuno Brito Jorge, co-fundador da GoParity e responsável pelo projeto, em declarações enviadas ao Jornal Económico. “Esperamos e ambicionamos ver mais empresas, seja qual for a sua dimensão e história, a aderirem a este tipo de projetos”.

Este foi o primeiro projeto de colaboração entre uma plataforma de financiamento colaborativo, a GoParity, e uma multinacional financeira alemã Grenke, que co-financiou o projeto com 100 mil euros e contribuiu para a aceleração da sua implementação.

Com este projeto, a Cerâmica de Pegões irá produzir cerca de 410 MWh (equivalente ao consumo anual de 100 famílias portuguesas) através da instalação de um sistema solar fotovoltaico de 250 kW para consumo próprio. A empresa estima uma redução de 180 toneladas de CO2 pela cerâmica.

Com mais de 60 anos de atividade, a Cerâmica de Pegões tem vindo a apostar na eficiência energética, nomeadamente através da instalação de uma caldeira de biomassa, há 12 anos, que ajudou a reduzir os custos, tornando-a mais competitiva e menos dependente dos preços do petróleo. Com a instalação do sistema solar fotovoltaico, a Cerâmica de Pegões espera conseguir aumentar a competitividade e independência das variações de preços da eletricidade.

Relacionadas

GoParity lança criptomoeda em Portugal que recompensa produção de energia solar

Produtores de energia solar podem receber as novas criptomoedas SolarCoin e trocá-las por bitcoins ou euros. O projeto é da fundação internacional com o mesmo nome da criptomoeda e chegou agora a Portugal pela mão da GoParity.

Investir a partir de 50 euros? Estas são as melhores opções

As plataformas de ‘crowdfunding’ são ferramentas de investimento disponíveis para quem não tem muito capital para desembolsar. O Economize apresenta-lhe quatro opções.

Eficiência energética: GoParity captou um milhão de euros para projetos em Portugal

Esta plataforma de investimentos sustentáveis em Portugal conseguiu esta verba ao abrigo do programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia.
Recomendadas

Teixeira dos Santos: “Não tenho razões para me arrepender” da escolha de Carlos Santos Ferreira e Armando Vara

O Estado “nunca interferiu em qualquer operação” da Caixa Geral de Depósitos, garantiu ainda o ex-ministro das Finanças, na última comissão parlamentar de inquérito aos atos de gestão e recapitalização do banco público, que se realizou esta quarta-feira.

Apple considera mudar até 30% das operações da China para o Sudeste Asiático

A Índia e o Vietname são as opções cimeiras para a gigante tecnológica. A corretora Wedbush Securities sublinha que levaria pelo menos 2 a 3 anos a transferir 15% da produção de iPhones da China para outras regiões.

TAP concretiza maior operação em Bolsa desde 2012 no valor de 200 milhões de euros

A dona da companhia aérea nacional divulgou esta quarta-feira à tarde os resultados da oferta pública de subscrição das “Obrigações TAP 2019-2023”. O Jornal Económico sabe que a TAP quer captar mais 350 a 400 milhões de euros em futura abertura de capital.
Comentários