Maioria dos portugueses paga despesas com educação a tempo e horas

O “European Consumer Payment Report”, da empresa de planeamento financeiro da Intrum, concluiu também que 68% dos portugueses, contrastando com 56% da média europeia, consideram que as escolas têm um papel fundamental quando se trata de educar as crianças sobre a economia doméstica.

No último ano 83% dos portugueses assumiram que as crianças deveriam aprender mais sobre economia doméstica nas escolas, um valor superior à média europeia (74%), de acordo com os dados apresentados pelo “European Consumer Payment Report” da empresa de planeamento financeiro Intrum, empresa de serviços de gestão de crédito.

No mesmo ponto 68% dos portugueses, contrastando com 56% da média europeia, consideram que as escolas têm um papel fundamental quando se trata de educar as crianças sobre a economia doméstica.

Este relatório mostra também que 80% dos portugueses cumprem com as suas obrigações em relação ao pagamento das despesas com a educação e só 7% assumem pagar após o prazo limite, percentagem bastante inferior à média europeia, situada nos 18%.

Luís Salvaterra, diretor-geral da Intrum Portugal, sublinha que “é urgente definir novas formas de transmitir às crianças os conhecimentos necessários para responder aos desafios do futuro e as escolas precisam de assumir o seu papel e preparar adequadamente as crianças e jovens para uma nova realidade económica que os espera”.

Estes dados revelam ainda que 14% dos portugueses direcionam as suas poupanças para a educação, valor mais baixo do que o registado em 2017 (17%), mas ainda assim, acima média europeia (9%).

Recomendadas

Vai arrendar casa? Informe-se sobre o Contrato Promessa de Arrendamento

Portugal é tipicamente um país de proprietários de imóveis, mas a partir da geração millennial que a procura pelo arrendamento tem crescido, o que em parte se deve à grande mobilidade e ainda à dificuldade de obter crédito habitação como consequência da última crise económico-financeira.

Natixis quer contratar mais 150 colaboradores para Portugal até ao próximo ano

Divisão internacional de banca empresarial e de investimento, de gestão de ativos, de seguros e serviços financeiros do Groupe BPCE instalou o centro de IT no Porto, em 2016, e pretende recrutar na área da tecnologia.

O que é e quem pode aceder a microcrédito?

Criado para as economias dos países em vias de desenvolvimento, o microcrédito entrou também nas práticas das economias desenvolvidas. Em Portugal, existe o programa ‘Sou Mais’.
Comentários