Mais de 11 mil professores vão passar à reforma em cinco anos

As projeções do Ministério da Educação indicam que, até 2023, vão reformar-se cerca de 11 mil professores, o que corresponde a 10% do universo atual.

O número de professores e educadores de infância a passar à reforma este ano não chegou a 700, mas a previsão é de que este valor venha a duplicar nos próximos cinco anos. As projeções do Ministério da Educação indicam que, até 2023, vão reformar-se cerca de 11 mil professores, o que corresponde a 10% do universo atual, avança o jornal “Diário de Notícias”.

Os dados mostram que, desde 2014, reformaram-se cerca de 4500 professores, já contando com os 669 que se aposentaram neste ano. Mas, até 2023, este valor pode vir a duplicar, o que representa “um enorme desafio para o ensino público, que pode perder boa parte dos professores mais experientes na próxima década e que não tem candidatos suficientes a sair das faculdades”, alerta a classe.

“Enquanto o perfil etário da classe docente apresenta claramente desafios, também pode representar uma oportunidade para revitalizar a profissão com novas ideias, novos níveis de aptidões e de especialização por parte de agentes de mudança da profissão”, argumenta a OCDE no Reviews of School Resources, publicado na quinta-feira. “Tudo depende de como Portugal conceptualiza a profissão docente e as suas oportunidades de desenvolvimento.”

A Associação Nacional dos Professores Contratados diz-se alarmada com o abandono da profissão.”Dentro de pouco tempo podemos não ter professores suficientes e desembocar em situações como a de Inglaterra, que tem de importar docentes. Nos próximos dez anos podemos perder 40% a 50% dos professores e nem a quebra da natalidade vai compensar as saídas”, afirma César Israel Paulo, porta-voz da associação.

 

Recomendadas

Programa de aceleração de ‘startups’ de restauração anuncia hoje os dois projetos vencedores

É a primeira edição do novo programa de aceleração da responsabilidade da Startup Lisboa, que contou com a participação de 22 concorrentes, no segmento ‘tech’ e não ‘tech’.

70% dos portugueses vão comprar as prendas de Natal em centros comerciais

Os portugueses inquiridos no estudo do Observador Cetelem pretendem gastar, em média, 200 euros em compras de Natal este ano, contra 85 euros no ano passado. Apenas 3% pretende fazer compras ‘online’.

Empresas privadas destacam-se na liderança dos serviços de água

“Prémios e Selos de Qualidade dos Serviços de Águas e Resíduos – ERSAR 2018”, atribuiu nove distinções, dos quais seis foram entregues a empresas privadas do setor.
Comentários