Mais de 60 aderentes do BE descontentes com atual orientação política

Um grupo de mais de 60 aderentes do BE promove no domingo o Encontro Nacional Convergência com o objetivo de repensar o partido, por discordarem da atual orientação política da direção e do “fechamento” do Bloco.

Segundo uma nota enviada às redações, o encontro está marcado para domingo de manhã, na Fábrica Braço de Prata, em Lisboa, estando prevista para as 17h00 uma conferência de imprensa no local.

“Há momentos onde é necessária a coragem de começar de novo. Este é um desses momentos em que é necessário ver mais longe do que as ilusões e aparências recomendariam”, pode ler-se na mesma nota.

À agência Lusa, um dos subscritores explicou que a organização está à espera de 200 pessoas para o Encontro Nacional Convergência, que reúne “sensibilidades informais dentro do Bloco de Esquerda como o Novo Curso, Mais Bloco ou Via Esquerda e mais aderentes do partido”.

“São pessoas que consideram que há uma orientação política que não afirma um projeto próprio”, aponta.

Na perspetiva dos organizadores do encontro, é necessário que o “Bloco afirme um projeto político próprio e que assuma que é oposição”.

Os subscritores da convocatória do encontro estão ainda descontentes com questões de democracia interna, criticando “um fechamento grande em termos de capacidade de debate e de acolher diferentes opiniões” por parte da atual direção, liderada por Catarina Martins.

“Aderentes do Bloco de Esquerda de todo o país, ativistas de diversas sensibilidades e origens, reúnem-se no Encontro Nacional Convergência com o propósito de contribuir para repensar o Bloco, a sua presença e intervenção na sociedade, em tempos de grande exigência para enfrentar o colapso ambiental, mobilizar forças e vontades pela igualdade, pela justiça e pelo socialismo”, lê-se na nota à imprensa.

De acordo com o mesmo texto, “reconstruir a pluralidade, respeitar a diversidade, pugnar pela unidade para conseguir caminhos de afirmação são desafios que se colocam num encontro com debate livre e por alternativas”.

Entre as mais de 60 pessoas que assinam a convocatória estão nomes com os ex-deputados Carlos Matias e Pedro Soares, e Mário Tomé, antigo deputado da UDP e o mandatário nacional do BE nas legislativas deste ano.

Ler mais
Recomendadas

Ana Rita Bessa: “É muito difícil fazer oposição no Parlamento quando nas redes sociais a oposição vem do próprio partido”

Deputada referiu-se à “fotografia muito difícil” em que apareceu quando o CDS-PP se juntou ao PSD, PCP e Bloco de Esquerda aprovaram a reposição integral do tempo de serviço aos professores na Comissão Parlamentar de Educação.

Nuno Magalhães diz que João Almeida é “quem realmente irrita António Costa”

Antigo líder parlamentar sublinhou que todos os presidentes dos partidos de centro-direita que disputam eleitorado com o CDS-PP têm assento na Assembleia da República.

Ribeiro e Castro confirma apoio a Francisco Rodrigues dos Santos

Antigo presidente do CDS-PP insurgiu-se contra quem dentro do partido utiliza a “linguagem da esquerda” para designar o líder da Juventude Popular como um ultraconservador.
Comentários