Mais de 800 operacionais combatem fogo em Proença-a-Nova

Mais de 800 operacionais estavam às 07:30 de hoje a combater o incêndio que deflagrou no domingo em Proença-a-Nova e alastrou aos concelhos de Oleiros e Castelo Branco, segundo a Proteção Civil.

De acordo com informação disponível na página da internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), o incêndio estava às 07:30 em curso e por dominar, mobilizando 875 operacionais, com o apoio de 292 veículos.

Na terça-feira, a Proteção Civil disse que 90% do fogo no distrito de Castelo Branco estava dominado.

“Todo o perímetro do incêndio está estabilizado, porém existe uma preocupação em 10% do território”, relatou o comandante de agrupamento distrital Pedro Nunes, em conferência de imprensa, cerca das 20:00, no posto de comando instalado em Sobreira Formosa, no concelho de Proença-a-Nova.

Segundo Pedro Nunes, os 10% correspondem a partes do perímetro, que é superior a 60 quilómetros, que “estão ainda muito quentes e que tiveram atividade de fogo durante a tarde”.

Por volta das 17:50, a página da ANEPC dava o incêndio como “em resolução”.

Contudo, cerca das 19:30 a informação passou a “em curso”, patamar no qual se mantinha hoje às 07:30.

De acordo com a informação disponível no ‘site’ da ANEPC, às 07:42 de hoje estavam envolvidos no combate a 69 incêndios (em curso, em resolução ou em conclusão) 1.253 operacionais, apoiados por 413 viaturas.

Os incêndios que mobilizavam mais meios às 07:42 eram o de Proença-a-Nova e o fogo que deflagrou às 20:53 na localidade de Barreiros, no concelho de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, que mobilizava 94 operacionais, com o apoio de 31 veículos.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: Ordem dos Médicos pede divulgação urgente da Estratégia Outono-Inverno

A Ordem dos Médicos (OM) apela à importância da coesão nacional no combate à segunda onda pandémica que está a iniciar-se no continente europeu. O bastonário Miguel Guimarães e o gabinete de crise da OM reclamam ainda a atualização das normas da DGS, nomeadamente a que fixou novas regras na abordagem do doente com suspeita ou infeção por SARS-CoV-2. E pedem o uso de máscara em espaços públicos abertos de acordo com a avaliação do risco local.

Fenprof defende disciplina de Cidadania e condena manifesto de personalidades

A Federação Nacional dos Professores considera que o documento subscrito por Cavaco Silva e Passos Coelho, entre outras personalidades, “mais não é do que um manifesto contra a democraticidade e pluralismo enquanto pilares da escola portuguesa”.

Oferta de quartos para arrendar dispararam 228%. Lisboa e Porto com maior procura

A capital regista uma subida da procura de 61%, enquanto a cidade do Porto é a mais procurada por 16% da população que pretende arrendar quarto.
Comentários