Mais um resgate aéreo. Virgin Atlantic vai receber 1,32 mil milhões de euros dos acionistas privados

Este resgate será pago apenas pelos parceiros privados e elimina, assim, a necessidade de apoio por parte governamental, que já tinha sido procurada pelo fundador, o milionário Richard Branson.

A companhia aérea Virgin Atlantic aceitou um acordo de resgate com os seus acionistas e credores, no valor de 1,2 mil milhões de libras (1,32 mil milhões de euros), para assegurar o futuro após a pandemia da Covid-19, aponta a “Reuters”, depois de ter acesso ao comunicado da empresa.

De acordo com a publicação, este resgate será proveniente de parceiros privados e elimina, assim, a necessidade de apoio por parte governamental, que já tinha sido procurada pelo fundador, o milionário Richard Branson. O resgate deverá estar concluído até ao fim do verão e o dinheiro será distribuído consoante as necessidades da empresa ao longo dos próximos 18 meses.

A companhia aérea, detida em 51% pelo grupo Virgin de Richard Branson, e em 49% pela companhia aérea norte-americana Delta, decidiu encerrar a base de Gatwick e despedir mais de 3.500 trabalhadores devido aos prejuízos provocados pela crise pandémica.

“Os últimos seis meses foram os mais difíceis que enfrentámos em 36 anos de história. Tomámos medidas dolorosas, mas realizámos o que muitos julgavam impossível ”, afirmou o presidente-executivo da Virgin Atlantic, Shai Weiss, em comunicado citado pela “Reuters”, acrescentando que a transportadora quer atingir lucros em 2022.

“Agradecemos o apoio dos nossos acionistas, credores e novos investidores privados e, juntos, garantiremos que a Virgin Atlantic possa surgir como uma companhia aérea lucrativamente sustentável, com um balanço saudável”, cita a “Reuters”.

Este resgate chega depois de Branson ter pedido ajuda ao Estado britânico, sendo que posteriormente o governo disse que as companhias aéreas precisavam de esgotar todas as ajudas privadas de investimento antes de considerar o apoio estatal.

Assim, o grupo Virgin vai investir 200 milhões de libras (219,9 milhões de euros), e os acionistas vão entregar mais 400 milhões de libras (439,9 milhões de euros) de apoio adicional. Também Davidson Kempner, o novo parceiro de negócios, vai ajudar a empresa em 170 milhões de libras (187 milhões de euros) garantidos, enquanto os credores vão apoiar a empresa em mais de 450 milhões de libras (495 milhões de euros) em adiantamentos.

Ler mais
Recomendadas

Desafios aos quais as organizações devem responder

É importante que os líderes atuem como agentes de mudança e articulem claramente as vantagens para a elevada satisfação no trabalho, incluindo a formação das chefias nas suas responsabilidades essenciais.

“Mercados em Ação”. “Vitória de Joe Biden nos EUA vai ajudar muito a EDP”

Na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio, analisou os desafios do novo CEO da EDP, Miguel Stilwell, escolhido esta semana para gerir os destinos da elétrica até 2023.

“Mercados em Ação”. “Galp está a transformar-se. Fecho da refinaria de Matosinhos foi um exemplo”

Futuro da Galp e os desafios do seu novo CEO, Andy Brown, foram temas abordados na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio.
Comentários